OPINIÃO
09/01/2015 17:29 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Gay mediante pagamento: homens héteros transam com gays por dinheiro

Um novo reality show sobre homens heterossexuais que fazem sexo com outros homens por dinheiro chegou à TV. A maioria das pessoas não acredita que esses homens sejam héteros, e sim gays ou bissexuais. Mas o fato é que muitos homens - gays, heterossexuais e bissexuais - podem ser sexuais tanto com o mesmo sexo ou com o sexo oposto, se houver dinheiro envolvido.

Um novo reality show sobre homens heterossexuais que fazem sexo com outros homens por dinheiro, intitulado Broke Straight Boys, chegou à TV. A maioria das pessoas não acredita que esses homens sejam héteros, e sim gays ou bissexuais. Mas o fato é que muitos homens - gays, heterossexuais e bissexuais - podem ser sexuais tanto com o mesmo sexo ou com o sexo oposto, se houver dinheiro envolvido. "O dinheiro me dá tesão", dizem muitas vezes esses homens. A maioria das pessoas, no entanto, acha que, se um homem se envolve em relações sexuais com outro homem por qualquer razão, ele não pode ser hétero.

Heterossexuais que fazem sexo com homens são punidos pelos preconceitos e pelo estigma associado ao ato, e as pessoas os consideram gays, quando na verdade eles não são. Qualquer coisa vista como não-masculina em um homem (e sexo gay é visto como não-masculino em nossa cultura) é considerada "afeminada" ou "gay" e é punível de acordo com os termos dos padrões patriarcais. Os homens heterossexuais até mesmo dirigem essa homofobia contra si mesmos por eventuais comportamentos sexuais com outros homens, e os resultados podem ser brutais.

Homens gays são muitas vezes os maiores críticos desses homens, achando que eles são gays enrustidos que precisam sair do armário. Muitas mulheres não saem com homens que fazem sexo com outros homens, e relacionamentos acabam quando elas descobrem que seu parceiro fez sexo com outro homem no passado. Algumas mulheres até mesmo evitam homens que tenham a mínima curiosidade sobre o sexo gay, mesmo que eles nunca tenham experimentado. "Você deve ser bissexual ou gay", dizem elas, ansiosamente. A preocupação delas é ser trocada por um homem; elas não acreditam que se trata simplesmente de um comportamento sexual e não da identidade sexual do seu parceiro como homem heterossexual.

O caso de "Josh" (um agregado de muitos clientes que tive) ilustra um entendimento mais profundo dos homens que podem ser "gays mediante pagamento".

O caso de Josh

Josh, um instrutor de academia de 32 anos de idade, veio a mim porque tinha problemas sexuais com as mulheres com quem saía. Ele conseguia manter relações sexuais com elas, mas não era mais capaz de apreciar o sexo oral que elas faziam. O problema era que a maioria das mulheres que ele conhecia não gostava do fato de ele falar durante o sexo oral: sendo "sujo", dirigindo e orientando, ou simplesmente dizendo como ele gostava. Ele simplesmente não conseguia gostar do sexo oral por causa dessas reservas.

"Eu não sentia que elas estavam curtindo, e isso me tira o tesão", ele me disse. "Me sinto egoísta se for o único curtindo a transa. Isso atrapalha o meu prazer."

Josh tinha um segredo, que ele escondia das mulheres: ele recebia sexo oral de homens em troca de dinheiro. Josh disse que ele não era gay e insistiu que não poderia contar essas experiências para as mulheres ou elas iriam julgá-lo duramente por ser gay ou bissexual.

No final da adolescência, Josh percebeu que homens e mulheres eram atraídos por ele. Os exercícios lhe davam um corpo muscular e cuidadosamente esculpido. Ele não era homofóbico e negou qualquer interesse sexual por homens, mas gostava de ser observado e desejada por eles, assim como por elas.

"Os homens expressam seu desejo de forma diferente das mulheres", disse ele, o que significa que os homens eram mais sinceros e expressavam abertamente a apreciação estética por seu corpo.

Um homem da academia ofereceu 100 dólares para vê-lo posar e exibir o seu físico muscular. Josh educadamente disse que ele não era gay. O homem insistiu que não haveria nada sexual envolvido; ele só queria ver Josh posar. Seduzido pelo dinheiro, Josh acabou concordando. Enquanto ele posava, o homem o observava e elogiava sua aparência.

Depois, esse mesmo homem ofereceu mais dinheiro se Josh permitisse que ele se masturbasse enquanto assistia Josh. Finalmente, ele perguntou se poderia ver Josh nu e, mais tarde, se poderia fazer uma felação em Josh, sem reciprocidade. Josh recusou durante meses, até que o homem começou a lhe dar presentes e ainda mais dinheiro. Josh deixou claro que não estava interessado em retribuir de nenhuma maneira e que não queria laços românticos ou emocionais. Ele o fazia só para ganhar algum dinheiro.

Josh percebeu que estava gostando da situação mais do que poderia imaginar e apreciava que o homem também estava interessado no prazer de Josh. Na sua experiência, as mulheres meramente toleravam a felação, mas ele queria que elas gostassem de fazê-la tanto quanto ele gostava de recebê-la. Josh podia falar sujeiras para esse homem e explicar como queria ser atendido. O homem também estava disposto a engolir, o que aumentou a empolgação de Josh.

Com o tempo, o homem recomendou Josh a seus amigos; eles ofereciam dinheiro para poder adorá-lo sexualmente. O que Josh amava era que esses homens o perseguiam e honravam o corpo que ele tinha criado. Além de apreciar o dinheiro recebido, ele se sentia desejado.

É importante notar que Josh não se sentia sexual ou romanticamente atraído por nenhum desses homens - nem por nenhum outro homem. Ele sentia atração sexual por mulheres e dizia sempre que, se pudesse achar uma mulher que o "atendesse" como os homens, ele sentiria menos inclinação a fazê-lo com homens.

Também descobrimos que, para Josh, dirigir e orientar as mulheres era sua maneira de estar no controle durante o sexo oral. Ele sentia tesão por estar no comando e por ter algum tipo de dominação. Saber disso ajudou Josh a importância de contar para as mulheres seu interesse de manter algum tipo de controle durante o sexo oral.

Na verdade, Josh era hétero desde o início. O problema não é necessariamente dos héteros que fazem sexo com homens, mas sim de quem os julga.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

Siga a gente no Twitter

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.