OPINIÃO
11/03/2014 09:54 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:12 -02

Escolas caindo aos pedaços: é 'Fantástico'

Na reportagem do 'Fantástico', o que mais impressiona não são as fotos e depoimentos dos professores, já que as escolas mostradas são rurais e não têm diretor: é a atitude do poder público.

Reprodução /TV Globo

O programa Fantástico do último domingo, 9/3, apresentou mais uma reportagem deprimente sobre o estado de escolas rurais de várias partes do Brasil. Se tivesse andado um pouco mais teria encontrado situações semelhantes também em escolas urbanas. Em Recife, o vereador André Régis produziu um competente levantamento do estado físico das escolas urbanas, e suas conclusões não são muito diferentes do que vimos pela televisão.

O que mais impressiona não são as fotos e depoimentos dos professores, já que as escolas mostradas são rurais e não têm diretor: é a atitude do poder público. Ao invés de um senso de indignação, ouvimos as respostas burocráticas: as providências estão sendo tomadas, solicitamos recursos ao MEC, e assim por diante.

A imprensa tem sido uma das poucas instituições que ainda tem sido capazes de mostrar certas realidades e suscitar um debate. Não podemos perder nenhuma dessas oportunidades. Eis algumas reflexões.

Primeiro, é claro que o que foi mostrado no Fantástico não é o retrato da realidade nacional. Mas o problema apresentado é mais comum do que raro. O descaso com a infraestrutura física das escolas é um fenômeno de proporções gigantescas.

Segundo, um dos efeitos da centralização de decisões e recursos nas mãos das secretarias é dispensar a comunidade e a escola de cuidar de si mesma. Algumas escolas sequer têm um diretor ou pessoa responsável. Diante disso, a escola diz que é problema da secretaria e a secretaria diz que é problema do MEC.

Terceiro, uma das causas de faltar recursos para infraestrutura é o uso ineficiente dos recursos para a educação: gasta-se demais com pessoal e não sobram recursos para investimento, custeio e materiais. Isso só aumenta a ineficiência.

Em educação existem condições necessárias e suficientes. Infraestrutura é condição necessária. E também disso não estamos cuidando bem.