OPINIÃO
14/04/2015 17:42 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

8 lições que 12 anos de casada me ensinaram

As coisas de praxe - por exemplo, não proferir a palavra "divórcio", aceitar que meu marido às vezes se esquece de dar a descarga e reconhecer que jogar a colher de pau na parede quando estou cozinhando para mostrar que estou furiosa só vai me dar mais trabalho depois. Mas seguem algumas lições realmente importantes que aprendi (na maioria dos casos, depois de erros e acertos) e que já ajudaram a salvar meu casamento inúmeras vezes.

Shutterstock / Lasse Kristensen

Este último fim de semana foi nosso aniversário de casamento, e eu ando um pouco reflexiva. Aprendi muitas lições em meus 12 anos de casada, que passaram relativamente rápido.

As coisas de praxe - por exemplo, não proferir a palavra "divórcio", aceitar que meu marido às vezes se esquece de dar a descarga e reconhecer que jogar a colher de pau na parede quando estou cozinhando para mostrar que estou furiosa só vai me dar mais trabalho depois.

Mas seguem abaixo algumas lições realmente importantes que aprendi (na maioria dos casos, depois de erros e acertos) e que já ajudaram a salvar meu casamento inúmeras vezes.

1. O casamento é um ciclo.

Haverá bons tempos e maus tempos. Altos e baixos. Montanhas e vales. Quando você estiver arrastando os pés por um vale, não pense que seu casamento foi um equívoco ou que vocês dois não vão conseguir fazer a relação funcionar. É normal passar por tempos difíceis.

Já aprendi que foi nesses momentos que acabei conhecendo meu marido melhor em um nível mais profundo. Aprendi lições importantes nas fases em que as coisas não estavam indo bem para nós. Pense nessas fases como um momento para aprender e crescer; saiba que as coisas vão voltar a melhorar. Nenhuma relação conjugal continua fantástica 365 dias por ano.

2. Você terá pensamentos horríveis.

Houve muitos momentos em que meu marido fez meu sangue ferver, e eu só consegui pensar coisas do tipo "não posso mais ficar com ele", "devo ter me enganado em relação ao tipo de homem que ele é", "eu queria poder ir embora".

Mas o simples fato de esses pensamentos passarem por sua cabeça não quer dizer que seu casamento esteja fadado a acabar ou que nunca deveria ter acontecido. É normal ficar muito abalada e furiosa de vez em quando e ter pensamentos como esses de relance. Apenas uma coisa: não se detenha sobre eles.

3. O casamento dá trabalho, especialmente depois da chegada dos filhos.

Ao longo dos anos, percebi que os momentos em que eu e meu marido nos distanciamos mais foram quando não estávamos priorizando um ao outro. Assim como uma flor precisa de água, o casamento precisa de atenção.

Quando os dois parceiros não dedicam tempo um ao outro, a relação conjugal começa a murchar. É mais fácil dedicar essa atenção nos primeiros anos, quando vocês ainda estão surfando a onda da paixão, mas depois de alguns anos, ou quando vocês têm filhos muito pequenos, pode virar uma coisa trabalhosa.

Desde que tivemos filhos, houve momentos em que meu marido e eu nos sentimos como apenas pessoas que dividem uma casa e que não se dão mais que um "bom dia" e "boa noite" todos os dias. (Por outro lado, também é possível que seja nessa hora que vocês descubram qual é a cara do verdadeiro amor.)

Para nós, o que nos ajudou a reconstruir o elo foi dedicar algum tempo a ficarmos juntos todas as noites, nem que fosse apenas para assistir a um programa de TV juntos. Também voltamos a fazer algumas coisas que fazíamos antes de ter filhos, tipo brincar de lutar ou sair juntos de vez em quando para namorar, e isso ajudou tanto! São as coisas pequenas que você faz depois de ter filhos que a ajudam a conservar a relação amorosa com seu cônjuge.

4. Você VAI pisar na bola em algum momento.

E seu marido, também. Perdoe, perdoe, perdoe! E perdoe mais um pouco. Não guarde rancores, não volte a falar nos erros passados dele (especialmente depois que ele lhe pediu desculpas e você o perdoou), não fique repisando o passado e não espere que seu marido ou sua mulher seja um príncipe ou princesa de contos de fadas.

Essa não é realidade; logo, desista dessa ideia antes que ela destrua seu casamento. Errar é humano, e é errando que os humanos aprendem a fazer melhor. Na privacidade de seu lar, nenhum casamento é perfeito; todos têm seus problemas, e o seu casamento não foge a essa regra. Quando você aceitar que seu cônjuge tem suas falhas e que você também as tem, vocês dois poderão abandonar as expectativas não realistas.

"Uma casamento feliz é a união de duas pessoas que sabem perdoar." - Ruth Bell Graham

5. Vocês dois não precisam viver como gêmeos siameses.

Acho que no primeiro momento de nosso casamento, não recebi o memorando dizendo que podíamos ter hobbies diferentes e que cada um de nós tinha direito a tempo para viver sem o outro. Então, quando entendi que ter tempo só para mim, fazendo as coisas que sempre gostei de fazer, me recarregava de energia e reacendia em mim aquela pessoa por quem meu marido se apaixonou, percebi como é benéfico que marido e mulher façam algumas coisas sem estar juntos.

Deixe seu cônjuge continuar a ter seus amigos e familiares. Não monopolize o tempo e a atenção dele. Você não é a única pessoa que o ama. E, mesmo vocês dois estando casados, ainda são dois indivíduos que têm alguns interesses diferentes. Não há problema algum em ainda curtir suas próprias coisas depois de se casar!

6. Não imagine que você sabe o que seu cônjuge está pensando.

Este deve ter sido meu maior erro. E foi preciso ser provado um milhão de vezes que eu estava errada para eu finalmente botar na cabeça que, pasmem, eu não sei o que meu marido está pensando! Isso mesmo, não sei ler o que se passa na cabeça dele, apesar de todos estes anos eu sempre ter achado que sabia.

Em todos os momentos em que tive certeza de que meu marido estava pensando algo negativo, fui saber que ele não estava. Eu o considerei culpado centenas de vezes sem ter provas concretas, baseada apenas no meu suposto "sexto sentido" e minhas supostas "habilidades" de intuição social. O melhor conselho que posso dar é simples: pergunte a seu cônjuge! Não fique criando cenários complicados em sua cabeça e imaginando o que pode estar acontecendo na cabeça dele, não fique tentando entender o que ele realmente quis dizer com aquele comentário, etc.

Basta perguntar!! Explique que ele fez você sentir isso ou aquilo e deixa que ele lhe diga o que ele realmente quis dizer/disse/fez/não fez, etc. Em nove vezes em cada dez, você vai ver que se equivocou. Pense o melhor de seu parceiro!

7. Respeite seu parceiro, ame e estime sua parceira.

Sei que o que vou dizer já foi escrito em mil lugares, mas percebi que se aplica ao nosso casamento: meu marido quer sentir que é respeitado, e eu quero me sentir amada. Veja as definições:

Respeito: apreciação do valor ou da excelência de uma pessoa. Ele quer que você enxergue e valorize o que ele faz por você e sua família. Quer sentir que você o tem em alta conta.

Estimar: prezar e tratar como prezado; sentir amor por. Ela quer se sentir amada, quer sentir que é especial para você. Ela quer que você enxergue o que ela faz por você e sua família e que você a aprecie e admire por isso.

Tendo escrito isso, é óbvio que nós dois queremos apenas ser reconhecidos e amados. Nem sempre é fácil fazer isso, no meio da rotina e correria da vida conjugal, mas, na realidade, nossas necessidades fundamentais são muito básicas.

8. Enxergue o lado positivo.

Este é o melhor conselho que já recebi sobre o casamento, e parece simples e trivial demais para funcionar, mas funciona, sim. Quando vocês estão passando por uma fase difícil no casamento, e a impressão é que você e seu parceiro não conseguem se conectar, faça o seguinte: todos os dias, tome nota de todas as coisas que ele faz que você gosta. Faça isso mentalmente ou no papel. Todos os dias, pense em pelo menos dez qualidades ou atitudes positivas de seu parceiro. Mesmo que sejam coisas do tipo "hoje ele levou o lixo para fora".

E abstenha-se de pensar amargamente depois: "Mas quase todo dia quem leva sou eu". Concentre-se apenas no positivo. Dez coisas por dia. Toda vez que eu fiz isso, meu coração começou a amolecer, e comecei a enxergar meu marido com olhos amorosos (em vez de olhos acusadores). E, quando seu parceiro sentir suas vibrações positivas e amorosas em direção a ele, ele também abrirá seu coração.

Portanto, recapitulando: os tempos difíceis aproximam vocês dois, haverá momentos em que você vai colocar seu casamento em dúvida, seu relacionamento precisa ser regado, perdoe sempre, não abra mão de seus próprios interesses, você não sabe ler o pensamento do outro, respeitem e amem um ao outro e sempre, sempre, enxerguem o lado positivo.

Este post apareceu originalmente no blog Pig & Dac. Siga o Pig & Dac no Facebook para receber atualizações.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

VEJA TAMBÉM:

Galeria de Fotos Casais praticando Ioga Veja Fotos