OPINIÃO
21/07/2014 18:20 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Com ótimas expectativas, começa o Campeonato Brasileiro de Rugby - Super 10

Começaram no último sábado os campeonatos brasileiros de rugby masculino (Super 10) e feminino (Super Sevens). A expectativa é de que seja um dos melhores campeonatos da história.

Reprodução

Começaram no último sábado, 19/7, os campeonatos brasileiros de rugby masculino (Super 10) e feminino (Super Sevens, do qual falarei no próximo post).

No Super 10, com equipes de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte, a expectativa é de que seja um dos melhores campeonatos da história. Isso porque o rugby nunca foi tão competitivo e organizado no país. (o primeiro post deste blog explica). O desenvolvimento do esporte caminha a passos largos, com a profissionalização da administração na Confederação Brasileira de Rugby e a iminência da volta do rugby como esporte olímpico em Rio-2016, e os clubes estão investindo no crescimento.

Em qualquer esporte, trabalhar as categorias de base e formar jogadores é essencial para o sucesso das equipes. No rugby nacional, a maioria dos clubes tem seguido este mantra. O SPAC Rugby, de São Paulo, é o atual campeão brasileiro graças ao renascimento de suas categorias de base. O São José, formado em 1982 em São José dos Campos-SP, é outros grande exemplo: os jogadores formados desde os anos 90 no clube dominaram o cenário nacional de 2002 a 2012, ganhando oito títulos brasileiros, com dezenas deles frequentando as seleções.

Assim como o São José, o Curitiba Rugby Clube tem um projeto social, o Vivendo o Rugby, que forma atletas e que passou a alimentar diversas categorias do clube nos últimos anos.

A internacionalização do rugby brasileiro também tem sido um destaque nesse desenvolvimento. Os clubes sempre contaram com sulamericanos e europeus em seus times e diretorias desde o século 19, mas esse processo se acelerou. O Bandeirantes, tradicional clube de São Paulo, fechou em 2013 uma parceria com o Saracens, da Inglaterra, mudou seu modelo de gestão e recebe assistência técnica e física dos ingleses.

Em um caso bastante diferente no esporte nacional, há dois anos o milionário empresário inglês Anthony Armstrong virou presidente do Alecrim Futebol Clube, de Natal-RN, e montou um clube de rugby de mesmo nome, que foi campeão da Copa do Brasil em 2013. O clube potiguar, que passa a se chamar Armstrong Dragons, conquistou a o acesso e vai disputar a série A.

No Super 10, as equipes se enfrentam em turno único na primeira fase. Os quatro melhores colocados disputam as semifinais, e a final está prevista para o dia 8 de novembro (com transmissão da SporTV dos últimos cinco jogos). Dá para acompanhar o campeonato pelo hotsite do Super 10.

O capitão da Seleção Brasileira de XV, Daniel Xavier, o Nativo, do Desterro, deu sua opinião ao blog sobre a preparação das equipes neste ano:

Alecrim/Armstrong Dragons (Natal-RN): "Me arrisco a dizer que irão surpreender. O clube subiu da segunda divisão e fez uma boa preparação, inclusive com jogos na Europa. Vem preparado para o torneio".

Bandeirantes Saracens (São Paulo-SP): "Fechou parceria com o Saracens, clube da Inglaterra. É um time tradicional e muito competitivo, com jogadores experientes e com história no rugby nacional".

Curitiba Rugby (Curitiba-PR): "Desenvolve projetos sociais e já começa a colher frutos com jogadores da base subindo para o time principal. Também conta com jogadores argentinos com grande experiência e qualidade de jogo".

Desterro Rugby Clube (Florianópolis-SC): "Estamos nos preparando desde o início do ano, e temos alguns jogadores experientes que podem ajudar a equipe em momentos decisivos".

Farrapos Rugby Clube (Bento Gonçalves-RS): "Vem crescendo a cada ano e já se tornou um candidato forte ao título. O clube trabalha duro com um pack de forwards (jogadores mais pesados) forte e um bom chutador ".

Niterói Rugby Football Clube (Niterói-RJ): "Time tradicional, muito aguerrido e que pode acabar surpreendendo".

Pasteur Athlétique Club (São Paulo-SP): "Clube de tradição, com trabalho de base muito forte e também jogadores experientes. Foram vice-campeões em 2013".

São José Rugby (São José dos Campos-SP): "Desenvolve um trabalho de base há muitos anos, tem muitos jogadores nos selecionados nacionais e é o atual campeão paulista".

SPAC Rugby (São Paulo-SP): "Um dos primeiros clubes no Brasil, é o atual campeão nacional e aposta no conjunto do time para manter a performance este ano".

Rio Branco Rugby Clube (São Paulo-SP): Tem muita tradição e vem se reestruturando com trabalhos em escolas. Logo vão reconquistar o prestígio que merecem".

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para ver as atualizações mais rápido ainda, clique aqui.