OPINIÃO
08/08/2014 11:06 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Veja o que aconteceu quando mulheres reais experimentaram as dicas lésbicas da Cosmo

No começo eu tinha esperanças. Pode me chamar de louca. Mas eu tinha. Quando vi a matéria da revista Cosmo norte-americana intitulada "28 posições lésbicas que vão te tirar do sério" , cheguei a pensar: "Uau. Olha só. A Cosmo está mais inclusiva!". Minha ilusão não durou mais que um segundo.

Era como se um hétero tivesse desenhado todas as cenas de todos os pornôs que ele viu na vida, com a Barbie ou alguma princesa da Disney - e seus corpos impossivelmente magros e cabelos sedosos que desafiam a gravidade -- nos papeis principais.

Nos piores casos, as posições eram todas fantasias heteronormativas do sexo lésbico e, nos melhores, eram bobas.

Mas não percebi o quanto malucas e basicamente impossíveis eram elas até pedir para que minhas amigas lésbicas tentassem reproduzi-las. É sério, não tinha como. Faltavam braços e pernas. Era impossível sustentar o peso do próprio corpo, sem falar no peso da outra pessoa em metade das posições. Tínhamos de nos equilibrar na ponta dos pés e contrair os corpos de um jeito insano. E, acima de tudo, nada era excitante.

Nenhuma das partes importantes estava tocando outra parte importante, a menos que você tenha uma coisa com nódulos linfáticos ou umbigos ou fivelas de cintos. E você teria de ser feito de borracha (ou quebrar as pernas) para conseguir executá-las. Ah, e se você não conseguir levitar - e levitar também seu cabelo e seus colares - também vai ter problemas.

Em outras palavras, as posições são imbecis. Elas são a imaginação de um hétero do que as mulheres fazem na cama. Se você está confuso, deixe-me ser clara: nós transamos. Nós trepamos. Usamos nossos dedos e nossos corpos e nossas bocas e nossos brinquedos para gozar. Assim como os héteros. Tem estimulação e penetração e vibração. Tem lambidas e chupadas e tapas e apertões. Tem beijo e brincadeira e risada e gozada. Muitas gozadas.

Mas não tem, repito, não tem ninguém esfregando a testa no umbigo da outra ou esfregando o traseiro no esterno da outra, pelo menos não pra ter um orgasmo.

Devo dizer que a Cosmo tem o péssimo hábito de oferecer conselhos sexuais bobos para quem é hétero. (Lembre do donut no pênis... ) Então é bom saber que eles inventam sinceramente esse tipo de nonsense.

Mas tem uma camada extra quando se fala de sexo lésbico. Esse tipo de lixo só reforça a ideia de que o sexo lésbico de certa forma só existe para a curtição dos homens e que nós somos meninas idiotas, puxando o cabelo uma da outra e fazendo guerra de travesseiro. Neste caso, a coisa fica perigosa.

Estou terminando meu livro sobre o orgasmo feminino, e artigos como esse me lembram que nós meninas, especialmente as gays, ainda temos que acabar com muitos mitos.

Então, sem mais delongas, eis aqui algumas de minhas amigas representando 14 da Ridícula Ode da Cosmo às Posições Sexuais Lésbicas.

Agradecimentos especiais à minha equipe gay, Alley Hector et al.

A 'Cosmo' e o sexo lésbico