OPINIÃO
30/09/2014 13:25 -03 | Atualizado 26/01/2017 20:56 -02

Algo a declarar

Getty Images

Após sete horas, nuvens finas bem conhecidas de muambeiro. Voltando de Miami, acordo com o aviso de preparo para pouso. A fila do banheiro é longa, trago meu espelho portátil e protetor labial, a herpes estoura se eu não cuidar. Senhora, por favor, eu não recebi o formulário de declaração de imposto. Desculpa meu senhor, ninguém me pergunta isso, não sei responder. Ninguém.

Com 32 anos, sei usar o google e 3g. A declaração de muambas e mercadorias agora é feita online, começo a preencher o formulário, saio do avião, talvez nessa ordem, pego as malas e paro em frente aos dois canais.

É como o trânsito de São Paulo, não importa o caminho que faça, terá uma aventura à frente. Sem hesitar mais, direita, bens a declarar. A moça, possivelmente da polícia federal, tem pouco mais que minha idade: olha, menino, aqui é para quem quer declarar. Sim, eu sei.

Imprimo duas cópias do DARF, um espelho do outro. Como desenvolvedor de software admiro a simplicidade deles, pena que a declaração de bens na aduaneira seja subutilizada. Chega o rapaz de terno, que me viu vindo pela direita, simpático: agora você vai lá dentro, no banco, paga o DARF, conferimos os seriais e pode correr pro abraço.

Só débito ou dinheiro. Cartão recusado. Posso sair para pegar dinheiro com meu pai? Agora a moça tem certeza: é menino.

Saio, 11 da noite, sacamos o dinheiro que o caixa deixa e volto para tentar o cartão novamente. Na fila do banco, dois profissionais de viagens aéreas carregadas de importados de Miami. No silêncio, o rapaz: Isso é uma vergonha. Domingo à noite volto pra esse país e é assim que me recebem. Com multa.

Ao que a senhora confessa, mesmo com a multa estou no lucro, nas outras malas tinha pra lá de 20 mil. Se a fila do banco da aduaneira é seu confessionário, a multa de hoje é só o dízimo.

Tenho olho bom, 0.25 em um, 0 no outro segundo o oftalmo, são 4000 reais de multa em seu DARF. Só não vejo a do rapaz pois não tira do bolso. Seu cartão também não passou. Minha vez, pago o DARF.

Chegam as aeromoças chilenas, acho que para trocar dinheiro. A fila mal anda. O rapaz, indignado, vocês são de onde mesmo? Poxa, aí sim. Lá sim que é país, volta pra lá, pois aqui só tem bandido. Aqui nesse país só tem bandido.

Entrego a ele meu espelho e, agora sim, corro pro abraço de meu pai, que me aguardava do outro lado do mundo.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.


VEJA TAMBÉM NO BRASIL POST:

Photo gallery Sete vídeos de viagem inspiradores See Gallery