OPINIÃO
28/09/2015 00:49 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:53 -02

O Brasilzão d'O Legado Folclórico

Aprecie sem moderação obras literárias que tratam de um Brasil povoado pela fantasia, com cheiro de chuva e grama verde (calma, acontece muita magia da roubalheira no Senado ou na Petrobras, mas essas terão seu final em breve).

Recomendo aos leitores que tenham, sempre que possível, a sensibilidade de degustar com os olhos uma literatura carregada de referências infantis, porém com uma incrível abordagem de temas atuais.

2015-09-24-1443121027-920583-20150821161853.jpg

No terceiro livro da saga d' O Legado Folclórico em Ferro, Água & Escuridão, do carismático autor Felipe Castilho, publicado pela Editora Gutenberg (os dois primeiros volumes são Ouro, Fogo & Megabytes e Prata, Terra & Lua Cheia), você será pego por uma avalanche de sentimentos, e isso se deve ao fato de que em vários momentos dessa aventura protagonizada por Anderson Coelho, típico jovem nerd e amante de games, temos a incrível visão de que já estamos passando pelo que é narrado no livro. Não darei spoilers<3

De um lado, o sábio Saci, sem o seu cachimbo, como líder de uma turma de seres que fazem de tudo para manter a cidade de São Paulo limpa e justa. Mas suas aventuras estão além das fronteiras paulistas; nada como uma sereia, um Boto, um caipora, icamaibas e outras personagens da literatura brasileira.

Do outro lado, Wagner Rios, um inescrupuloso empresário, que sempre foi admirado pelo povo, mas cujo desejo é deter ainda mais poder em benefício próprio e obviamente para o mal, aliando-se à malvada Cuca (na mesma hora vem a canção "cuidado com a Cuca que ela vai te pegar"), Gorjalas (ogros que alimentam-se de pessoas, básico!) e outros meliantes.

O cenário para esse encontro e batalha, entre Saci e Wagner Rios, é o Rio São Francisco, Sergipe. Eita coisa boa!

Mas o interessante é que na obra de Castilho há a menção de fechar o Velho Chico -- apelido meigo para o Rio São Francisco--, em prol da empresa de Rios.

Curisoso traçar um paralelo que, em 2013, o cineasta André D'Elia trouxe às telas o documentário Belo Monte - Anúncio de Uma Guerra. Nele vê-se a polêmica em torno da construção de uma usina hidrelétrica que prejudicaria o povo indígena e todo ecossistema ao redor dela.

Bem, a obra de Catilho é um catálogo educacional que está ancorada perfeitamente na realidade, sua escrita fará com que você conclua a leitura e prontamente reveja certos conceitos sociais do seu dia a dia.

A saga O Legado Folclórico não é somente de um livro de fantasias e aventuras, mas sim um resgate do que falta e muito neste País: ideologia cultural.

Sentia falta de ler uma história tão leve, ornamentada por diálogos diretos, cômicos e especialmente criativos.

Vale a pena cada página bem como o prazer de sentir nas veias um produto Made in Brazil.

MAIS LITERATURA NO BRASIL POST:

Os 20 livros mais marcantes para os brasileiros

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: