OPINIÃO
22/01/2015 17:20 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:46 -02

Por que Mad Men é irresistível?

divulgação

Deixe-me eliminar o óbvio primeiro: Mad Men é irresistível porque tem Donald Draper, o personagem mais charmoso e blasé dos últimos tempos da TV.

Mas Mad Men é muito mais que Don Draper - e não faz esforço para ser. Não tem pressa para se desenvolver, não tem ritmo alucinante e nem apela para o sexo. A AMC, produtora da série, parece não ter se preocupado com o que os outros estavam fazendo e assim, bem ao estilo "não sabendo que era impossível foi lá e fez", virou a referência, criou o "estilo Mad Men".

A série é irresistível porque não é feita de vilões e mocinhos, mas de seres humanos. Como na vida real, uns mais interessantes que outros, uns mais bonitos e bem sucedidos que outros, mas absolutamente todos cheios de peculiaridades e fraquezas. Cheios de segredos - talvez o grande trunfo do roteiro de Matthew Weiner.

2015-01-22-MadMen1.jpg

Um roteiro que nunca entrega as coisas de bandeja, que conta apenas parte da história e prefere editar a verdade. Um texto soturno muito bem escrito e que aprecia mais o silêncio que a fala, mas que quando aparece é para produzir frases e diálogos memoráveis.

Mad Men é irresistível porque mistura realidade e ficção com elegância única ao narrar a história e o desenvolvimento da sociedade norte-americana e mundial ao longo da agitada década de 1960: o assassinato do presidente Kennedy, o auge do tabagismo, os Beats, os primeiros impulsos feministas, a guerra no Vietnã, o preconceito com gays e negros, surgimento da TV e do controle remoto, a Beatlemania, a disseminação de drogas como LSD e maconha, a época áurea da aviação, o movimento hippie, a força da indústria automotiva e em breve, sem dúvidas, o Maio de 68 e muitos outros eventos que ajudaram a escrever a história.

E qual o melhor lugar para representar tudo isso, senão a publicidade? A indústria que sempre foi de vanguarda, que experimentava, que desagradava os conservadores e ao mesmo tempo desfrutava de um prestígio que emergia junto com o consumo e produziu o glamour dos publicitários que perdura até hoje no imaginário. É com esse ótimo paralelo que Weiner faz a vida acontecer, as relações humanas se complicarem, os hábitos mudarem e novas histórias surgirem.

Se isso tudo não bastasse, Mad Men é irresistível porque conta com atuações brilhantes de praticamente todo o elenco, com destaque óbvio para Jon Hamm (Don), mas também para Vincent Kartheiser (Pete Campbell) e John Slattery (Roger), além de menções honrosas à maravilhosa January Jones (Betty) e a pequena Kiernan Shipka (Sally Draper).

E claro, Mad Men é irresistível porque tem uma produção irretocável. Tudo é fiel à época, evolui conforme as temporadas avançam e traz aquele ar vintage que todo mundo gosta. Da geladeira ao telefone, do cinzeiro à máquina de escrever, dos papéis de parede aos tipos de cortina nas casas. Das decorações às paisagens. Dos ternos bem cortados ao comprimento das saias, dos tipos de penteados às barbas. Dos carros aos trens. Dos drinks pedidos às marca de cigarro.

Mad Men não esquece de nada. E aí, vai resistir?

Curta a gente no Facebook |
Siga a gente no Twitter

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.