OPINIÃO
28/04/2014 15:43 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:28 -02

Somos todos cúmplices

Generalizar que o melhor contra-ataque contra uma ofensa é sempre ignorar é de um absurdo ímpar. O que o Daniel Alves fez foi interessante, mostrou que não liga, mas não é comendo uma banana que ele vai combater o racismo no futebol.

Rperodução/Instagram Neymar Jr.

Generalizar que o melhor contra-ataque contra uma ofensa é sempre ignorar é de um absurdo ímpar. Obviamente, se você está no trânsito e uma pessoa te xinga e você pode deixá-la falando sozinha, esta é a melhor opção. Mas atos continuado de racismo, dentro de uma atividade que nem o futebol, que movimenta bilhões no mundo, os responsáveis e os patrocinadores não responderem na justiça por isso com multas estratosféricas é um absurdo.

O que o Daniel Alves fez foi interessante, mostrou que não liga, mas não é comendo uma banana que ele vai combater o racismo no futebol. Se ele realmente fosse ter esta atitude, o correto seria abandonar o esporte, falar que não compactua com isso, que trabalha sim num ambiente homofóbico e racista.

A campanha #somostodosmacacos é de uma infelicidade ímpar. Somos todos macacos é a puta que pariu, somos todos é cúmplíces, isso sim!

Fale para uma pessoa que sofreu remoção sem aviso prévio e foi abandonada pelo estado que o melhor contra-ataque é ignorar. "Olha, ignora o trator que tá vindo derrubar sua casa, viu!". Certas pessoas parecem que vivem num mundo de fantasia, chega a ser infantil.