OPINIÃO
14/02/2014 09:12 -02 | Atualizado 26/01/2017 20:51 -02

Por que amanhã vou fazer meu primeiro rolezinho

Um sinal da idiotice social que vimos, nessa ano, foi a forma preconceituosa e até truculenta como muita gente (muita mesmo) tratou os rolezinhos.

Foram tratados como se fossem delinquentes e violentos no estilo Black Bloc.

Veja, caro leitor, que lição de cidadania.

Os líderes dos rolezinhos mostraram que não querem bagunça. Querem apenas uma cidade melhor para viver.

Entenderam-se com a prefeitura para ajudar a promover eventos culturais em vários espaços públicos, com apoio do poder público -- o que, pelo menos para meu gosto, é muito mais interessante do que um shopping.

Os coordenadores do movimento querem, nos eventos, promover doação de alimentos e sangue.

A cidade é um direito de todos -- e esse pessoal do rolezinho deu um exemplo de como se deve tratar uma cidade, onde educação e cultura deve ser uma questão de sobrevivência do cérebro.

Portanto, amanhã eu vou fazer rolezinho. Primeiro, porque não gosto de shopping e adoro o Ibirapuera, onde, aliás, eu nasci.

Segundo, porque quero participar como testemunha desse momento de civilidade da minha cidade.

Aliás, o motivo que faz participar da experiência do Catraca Livre é justamente uma cidade mais educada, inclusiva e inovadora.