OPINIÃO
11/02/2014 09:13 -02 | Atualizado 26/01/2017 20:51 -02

Black Blocs ajudam (e muito) os governos. E a polícia

Certamente não é nem remotamente o que eles gostariam. Mas, na prática, os Black Blocs ajudam os governantes, em particular, e os poderosos, em geral.

É simples ver isso -- e algo que ficou ainda mais patente com a morte do jornalista do Rio, vítima involuntária de um rojão atirado por um Black Bloc.

O clima de insatisfação no país se deve, em essência, a um fator: as pessoas (e com razão) estão inconformadas com o tipo de serviço público que recebem na educação, saúde, segurança, transporte públicos. O resto é detalhe.

Com sua violência, eles criminalizam manifestações pacíficas, que perdem apoio da opinião pública e deixam de atrair mais adesões.

Ou seja, menos pressão nas ruas. Isso não é ajudar, mesmo que involuntariamente, os governantes, que precisam explicar como gastam o dinheiro público e vivem cercados de desperdícios?

A violência ajuda também que a opinião pública desculpe ou aceite os excessos policiais contra manifestantes. Afinal, imagina-se que a multidão é comandada por vândalos -- e sabemos que não é.

Quanto mais os Black Blocs atuarem, mais fácil para os governos enfrentarem as manifestações de rua, reduzindo-as a combate aos delinquentes -- e não à monumental insatisfação.