OPINIÃO
13/03/2014 12:14 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:12 -02

O que eu vi no Brasil

Estou feliz com o que estou começando. Quero que as pessoas conquistem o que desejam tendo acesso às melhores opções disponíveis no mercado, com transparência e praticidade.

Nasci em uma família aristocrática da Inglaterra, em um ambiente de muita tradição e formalidade. Vivi minha infância e juventude em uma propriedade rural muito semelhante à da série de TV Downton Abbey, em tamanho e nas regras rígidas - aliás, o dono da propriedade usada como locação do programa é meu amigo e vizinho.

Mas não se engane: não sou o inglês típico. Para começar, sigo muito a minha intuição. A racionalidade pauta apenas 50% das minhas decisões - principalmente nos negócios. O resto é feeling. Também sou supersticioso - e nisso me aproximo dos brasileiros. Não entro em um avião se tenho um mau pressentimento, por exemplo. Mas o que mais me afasta do estereótipo do lorde britânico é que sou um empreendedor por natureza e em 2006 aconteceu a minha grande virada.

Tudo começou em 2000, quando eu fundei o uSwitch, sem certeza alguma de que o empreendimento daria certo. O uSwitch foi um dos primeiros comparadores de serviços na internet do Reino Unido. A cultura da comparação online estava apenas começando, assim como o próprio mercado de e-commerce. O site foi tão bem-sucedido que ajudou a tornar o meu país uma referência em aquisição de serviços via rede no mundo. Em 2006, um período em que o mercado de internet não estava em ebulição, vendi a empresa por 210 milhões de libras. No dia em que o negócio foi fechado, depois de uma madrugada trancado na sala de advogados decidindo os últimos detalhes da venda, voltei para o hotel, liguei para a minha mulher, e choramos juntos ao telefone. Aos 44 anos, eu virava um aposentado milionário. Fiz todas as loucuras típicas de quando se ganha uma bolada de uma só vez. Comprei helicóptero, fazenda de cavalos, carrões e até um jato - que, aliás, já vendi.

E mais uma vez algo fora do esperado me aconteceu. Eu fiquei completamente entediado. Minha veia de empreendedor e minha intuição diziam que eu deveria voltar para a ação. Viajei para os países mais distintos, como China, Austrália, Alemanha e Turquia, em busca de novas oportunidades de negócios. Acabei selecionando a Espanha, onde em 2013 iniciei as operações do site Kelisto, e o Brasil, onde agora lanço o MoneyGuru.

Foi impossível ignorar o tamanho da população online deste país. Muitos dos meus amigos investidores são reticentes em colocar dinheiro no Brasil neste momento, mas não é o meu caso. Se todos estão indo em uma direção, eu vou para o lado oposto, é assim que gosto de atuar. Depois de estudar o mercado brasileiro por três anos, acredito na solidez do país. O Brasil tem uma excelente estrutura de impostos, uma penetração de internet de aproximadamente 50% e jovens sofisticados e conectados que começam a demandar por menos burocracia na hora de adquirir serviços, além de ofertas mais claras e que combinem com seu perfil.

Aposto também que estamos em um período de transição das operações offline para as transações online e que, em alguns anos, todos os brasileiros vão adquirir serviços como seguros, consórcios e cartões de crédito na internet, sem as etapas desnecessárias que prolongam os processos de compra. É a isso que o MoneyGuru se propõe.

Acredito que fazemos escolhas o tempo todo, mesmo sem perceber: nas pequenas decisões cotidianas, como comprar um sapato ou pedir o prato no restaurante, e também nos grandes passos financeiros que vão realizar nossos sonhos, como adquirir o primeiro carro ou a casa própria.

Tenho orgulho de ter feito todo o desenvolvimento tecnológico do MoneyGuru no Brasil. Nossa equipe de TI criou ferramentas realmente inovadoras no mercado, que são capazes de categorizar benefícios para encontrar o melhor cartão de crédito, além de permitir que os usuários comparem as ofertas das 10 principais administradoras de consórcios do mercado.

Estou feliz com o que estou começando. Mais do que um novo negócio, quero deixar um legado aqui - o mesmo legado que comecei no Reino Unido com o uSwitch. Quero que as pessoas conquistem o que desejam tendo acesso às melhores opções disponíveis no mercado, com transparência e praticidade. Ainda mais porque hoje me tornei um apaixonado pelo Brasil. Já curti o carnaval no Rio, adoro creme de papaia com cassis - sobremesa que descobri aqui - e a alegria e informalidade brasileiras encantam este inglês criado entre tantas cerimônias e protocolos.