OPINIÃO
22/02/2016 14:23 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:31 -02

Se Geraldo Alckmin mente como governador, imagina como presidente?

Eu poderia ficar por horas aqui debatendo sobre como o tucano Geraldo Alckmin exerce com o maior profissionalismo do mundo a sua profissão de mentiroso. Mas felizmente, existem pessoas que estão dispostas a evitar mais um "sucesso" político de seu governo baseado em mentiras e manipulação. E são novamente os secundaristas.

ASSOCIATED PRESS
Former Sao Paulo Gov. Geraldo Alckmin concedes the presidential election to Brazil's President Luiz Inacio Lula da Silva in Sao Paulo, Sunday, Oct. 29, 2006. (AP Photo/Leslie Mazoch)

No mês de dezembro do ano passado, o tucano Geraldo Alckmin alcançava seu pior número de popularidade, indo para 28% segundo pesquisa do Datafolha. O motivo era claro: a reorganização escolar. Foram dias de cão para o governador, quando mais de 200 escolas estaduais haviam sido ocupadas por causa de seu projeto, sem contar os protestos dos secundaristas ao redor da cidade, que ocorriam diariamente. Adivinhem qual foi a resposta do governador para os estudantes?

Bala. E muita porrada.

A população não gostou muito de ver adolescentes de 16 anos sendo espancados por policiais. A pressão foi tanta que Alckmin não teve outra saída a não ser recuar. Suas palavras foram: "Começaremos a aprofundar esse debate, o diálogo escola por escola, especialmente com estudantes e pais de alunos".

Pois é, mas ele mentiu.

O Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) divulgou no dia 15 de fevereiro uma lista de 1.112 salas de aula que foram fechadas pelo governo do estado neste ano. O levantamento foi feito em 47 regiões de São Paulo, sendo que ainda faltam informações de outras 46 regiões. Estudantes e professores acusam o governador de realizar uma "reorganização disfarçada", por baixo dos panos.

Pra piorar, Alckmin ainda demonstra seu cinismo quando questionado sobre o fato:natural que tenha menos salas de aula". Mas, o que esperar de um governador que sempre quis ser presidente, mas nunca parou de mentir?

Quem não se lembra daquele momento histórico da campanha para governador do estado em 2014, durante debate entre os candidatos? Pra refrescar sua memória:

No ano seguinte, passamos por um momento crítico por conta da seca em todo o estado. De forma desesperada - que mostra sua incapacidade de diálogo com a população -, o governador tucano afirmou inicialmente que não haveria necessidade de racionamento de água no estado. Pouco depois admitiu a possibilidade, que ele mesmo desmentiu posteriormente.

E nesse jogo de mentiras, quem mais sofre é a própria população. Claro, menos os amigos do nosso governador tucano. Vale lembrar da lamentável lista de "beneficiados" da Sabesp, que tiveram tarifas privilegiadas na conta de água. Não estamos falando de famílias pobres que não possuem condição de arcar com despesas, e sim de 537 consumidores VIP, como a Alstom Brasil Energia e Transporte LTDA.

E o que essas empresas tem em comum com o governo do estado?

Bem, a Alstom esteve nas manchetes com denúncias envolvendo propina com o governo do estado de São Paulo - mais necessariamente o próprio governador Alckmin.

Suas palavras foram:

"Tem uma denúncia que entendemos que deva ser apurada, investigada com rapidez. Precisamos esperar o resultado da investigação".

É claro que vocês imaginam que até hoje não foi feito nada a respeito disso, certo?

E não foi mesmo.

Eu poderia ficar por horas aqui debatendo sobre como o tucano Geraldo Alckmin exerce com o maior profissionalismo do mundo a sua profissão de mentiroso. Mas felizmente, existem pessoas que estão dispostas a evitar mais um "sucesso" político de seu governo baseado em mentiras e manipulação. E são novamente os secundaristas.

Já existe uma grande mobilização interna nas escolas estaduais para evitar que o governo de São Paulo continue com seu processo de reorganização disfarçada neste ano. Assembleias e reuniões fechadas já foram feitas por secundaristas e ativistas que apoiam o movimento estudantil. Ainda não se sabe quais serão os próximos passos, mas estamos falando das mesmas crianças e adolescentes que já derrotaram o governo estadual no ano passado. Ou seja: tudo é possível.

Alguns comentaristas de Facebook podem acusar esse movimento de ser "partidário". Mas não é. Sabemos bem disso porque estivemos gravando um documentário sobre o tema desde o ano passado, chamado Ocupar e Resistir. São crianças que, apesar de inicialmente não terem a menor consciência política, aprenderam em pouco tempo como lidar com as mentiras ditas por políticos neste país. Crianças que já nos trazem a esperança de que o Brasil pode sim se tornar um país melhor no futuro, se continuarmos pressionando a classe política da maneira correta, pelas pautas corretas.

Crianças que já entenderam que se um homem mente como governador, então provavelmente ele faria ainda pior como presidente.

Galeria de Fotos 9 momentos em que os estudantes fizeram história no Brasil Veja Fotos

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: