OPINIÃO
02/06/2016 16:59 -03 | Atualizado 02/06/2016 16:59 -03

Viagens, aventuras, comida e cultura

Ah! O assunto é sério e ele é meu irmão. Então, tentei preparar o Sebastian para as os pontos de maior atenção e cuidado, pois, infelizmente, as consequências podem ser graves. Então, mesmo estando em uma tripulação unida, não podemos ficar na dependência dos outros. Alguns cuidados dependem apenas de nós mesmos.

Divulgação/Expedição Oriente

Olá, Aventureiros!

Já estamos no outro lado do mundo!

Estamos conhecendo muitos lugares em família (claro), dentro do nosso veleiro. Olha, está sendo uma grande diversão!

Aí, vocês podem me perguntar: "por que viajar em família é bom"? Querem saber? Para mim, ter experiências com as pessoas que a gente ama é a melhor sensação do mundo.

Desde os lugares mais exóticos e paradisíacos, como a Polinésia, para o lugar mais frio do mundo, a Antártica, estamos curtindo cada minuto em família. Por isso somos a Família Schurmann, né? (rs).

E família é equipe também!

Hoje, somos 8 tripulantes. Por que tanta gente? Essa equipe (considerada grande por alguns) ajuda a manter o barco e a tocar nossas produções. Como já contei, a bordo, temos todo o equipamento necessário para produzir material com qualidade até para as telas grandes. Câmeras de ação, estabilizadores, drones e muita energia para realizar tudo no pouco tempo que temos, quando chegamos em um novo porto.

Hoje, a gente já se sente em casa, morando dentro de um barco com 24 metros. E nos sentimos confortáveis para conversar sobre qualquer assunto. Os dias de aniversário sempre começam com surpresas e diversão. Nenhum passa em branco.

Mas também aprendemos algumas coisas importantes para a boa convivência e relacionamento de todos. Primeiro, silêncio é bom e tem que ser respeitado (rs). Afinal, quando dá para aproveitar um cochilo depois do almoço, é sempre bom, né? Mas se alguém faz barulho e te acorda quando você está quase pegando no sono é horrível. (rs)

Viajando, sempre temos que cuidar e até vigiar o outro. Não só porque estamos em um lugar totalmente desconhecido, mas porque, vivendo em um barco, temos que ter atenção extra para qualquer tipo de perigo: seja algo no nosso caminho durante a travessia ou um barulho diferente de alguma coisa que possa estar quebrada. Essa atenção evita qualquer tipo de transtorno.

Outro Schurmann a bordo?

Às vezes, temos novidades na nossa tripulação e, recentemente, embarcou Sebastian Schurmann, meu irmão. Ele queria participar da nossa grande aventura, mas por razões, como faculdade e trabalho, ainda não tinha tido essa oportunidade. Até que conseguiu marcar a data e deixar tudo na Flórida onde mora para passar as férias a bordo e encarar o mar aberto.

Ele nos encontrou em Hong Kong. Juntos, a bordo, imaginei como era quando nosso pai, Pierre, e nossos tios, David e Wilhelm, fizeram a primeria volta ao mundo. Nunca tinha navegado com meu irmão. E como estou na tripulação há mais tempo, deixei tudo pronto para a vinda dele. Pensei em tudo, imaginei como iria ser, se ia aguentar o trabalhão e se ia se adaptar bem com as regras do barco.

Meus avós, meu pai e meus tios. Os pioneiros dessa aventura familiar que, agora, se repete comigo e Sebastian a bordo.

Ele embarcou e encarou todos os desafios. O maior de todos? A navegação. Mas, no momento que íamos navegar de Hong Kong ao Vietnã, fraturei minha mão e tive que ir pros Estados Unidos. Quando estava planejando a vinda do Sebastian, eu nunca pensei que iríamos trocar de lugares. Passei todas as minhas tarefas e avisei que nada aqui seria fácil. Ele aceitou.

Dei dicas igual um irmão mais velho faz e avisei qual eram as expectativas de um tripulante durante uma travessia. Não perca seu turno porque ninguém irá te acordar. Cair na água é igual morrer! Se você cai na água, a chance da gente te achar é tão pequena que pode se considerar morto. Será que fui muito terrível com ele?

Ah! O assunto é sério e ele é meu irmão. Então, tentei preparar o Sebastian para as os pontos de maior atenção e cuidado, pois, infelizmente, as consequências podem ser graves. Então, mesmo estando em uma tripulação unida, não podemos ficar na dependência dos outros. Alguns cuidados dependem apenas de nós mesmos.

Então, boa travessia. E o mais importante de tudo: se cuida, irmão! Pois tenho certeza que, tomando todos os cuidados necessários, você também vai se divertir muito e descobrir como é incrível essa vida de aventuras.

Abraços,

Emmanuel

No período que eu estive fora, o Heitor registrou alguns momentos bacanas de toda a tripulação, incluindo meu irmão Sebastian, no Vietnã. Vejam que legal!

Galeria de Fotos Schurmann dão 3ª volta ao mundo em veleiro Veja Fotos