OPINIÃO
21/09/2015 19:46 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Quais imigrantes são bem-vindos?

TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO CONTEÚDO

Existem fotos que falam mais do que qualquer texto... Derrubam qualquer argumento... A foto da jovem vietnamita correndo nua fez o mundo enxergar que estávamos explodindo nossa própria humanidade... Anos depois, a imagem de uma criança prestes a morrer de fome sendo rodeada por um urubu voltou nossos olhos para a África e seus problemas, muitos ainda não solucionados.

Agora, um bebê refugiado de apenas três anos, encontrado morto na beira do mar, fez que todos voltassem os olhos aos refugiados, não só na Europa, mas no mundo todo.

Segundo o dicionário, o imigrante é "quem se estabelece num país estranho". Seguindo esse raciocínio, podemos concluir que os primeiros imigrantes a se estabelecerem no Brasil foram os portugueses...

De lá pra cá, mais de cinco séculos se passaram, e gente do mundo todo veio para cá em busca de uma vida melhor. Gente da Europa, da América Latina, do Oriente...

O brasileiro não tem um só rosto. Nossa cultura e costumes são uma grande mistura de diversas nações no mundo.

Mas você já se perguntou por que essas pessoas deixarem seus países para tentar a sorte numa terra estranha? Não deve ser fácil pra ninguém.

Muitas pessoas estão arriscando suas vidas neste momento para chegar a outro país. Isso está acontecendo agora, enquanto eu escrevo e também enquanto você lê este texto.

Eles querem a chance de levar uma vida digna; querem um futuro para seus filhos; querem paz.

Mesmo assim, parece que estamos vivendo uma onda de xenofobia no mundo todo. Vemos o bebê e ficamos sensibilizados, mas não conseguimos transformar essa sensibilidade em ajuda aos refugiados que estão do nosso lado, no nosso país, nas mesmas ruas e bairros em que vivemos!

Eu fico horrorizado quando leio ou escuto pessoas dizendo que não deveríamos receber imigrantes por que não conseguimos resolver nem nossos próprios problemas.

Mas quantos habitantes de São Paulo não são descendentes de imigrantes ou mesmo migrantes?

Meus bisavôs chegaram ao Brasil décadas atrás; não faz muito tempo...

Chegaram de forma precária, num navio com 200 imigrantes, entre espanhóis e italianos que deixaram seus países para tentar uma nova vida.

O navio deveria ir para a Argentina, mas chegando ao porto de Santos eles foram largados por lá mesmo... Isso não faz tanto tempo assim.

E se eles tivessem sofrido esse preconceito que tantos imigrantes têm passado? E se fossem os seus avós? E se fôssemos nós ali, arriscando nossas vidas por uma chance de recomeçar?

Entre tantos imigrantes na nossa cidade, um dos que mais sofrem são os bolivianos.

Eles vivem em alguns dos piores lugares da cidade; sofrem preconceito por sua origem indígena; por sua cultura; por seus costumes e vestimentas.

Tem sido um desafio para a Turma do Bem conseguir colocar os jovens bolivianos triados para serem atendidos pelos nossos dentistas voluntários.

Suas famílias sabem que o tratamento será completamente gratuito, porém o medo os afasta da cadeira do dentista.

Medo que a Polícia Federal os descubra; medo de estar num lugar onde nunca estiverem e não ter certeza se são ou não bem-vindos.

Medo de serem colocados num barco e enviados para outro lugar e terem de começar suas vidas outra vez.

O preconceito vivido por eles todos os dias faz que se isolem até mesmo daqueles que querem ajudá-los.

O que faremos para mudar isso?

Qual a diferença entre imigrantes e refugiados?

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: