OPINIÃO
13/01/2015 18:17 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Os perigos por trás da selfie do Totti

Certas coisas só são legais na primeira vez. Essa é uma delas. De toda forma, o exemplo foi dado e o risco de que as tais selfies se tornem uma praga também no futebol é iminente. O mal precisa ser cortado pela raiz. E logo.

São 16:29 de domingo. Faz pouco mais de duas horas que acabou o grande clássico entre Roma e Lazio, um dos mais acirrados do mundo e chamado pelos italianos de Derby Capitalino ou Derby della Capitale.

A partida terminou 2 a 2, com a Roma arrancando o empate no segundo tempo - o primeiro acabou 2 a 0 para Lazio. Apesar da ótima atuação do garoto brasileiro Felipe Anderson, ex-Santos, autor do segundo gol e da assistência para o primeiro, a principal personagem do clássico estava do outro lado e trata-se de uma figura bem conhecida e já acostumada ao papel de protagonista nesses encontros: a lenda romanista Francesco Totti.

Totti é o maior nome da história da Roma. Praticamente nasceu no clube e nunca vestiu a camisa de outro time em toda a vida. Está lá dentro desde os 13 anos, mas frequenta as internas desde os 7. Aos 16, já jogava pelo profissional. Também é o maior artilheiro, jogador que mais vezes vestiu a maglia giallorossa e entrou em campo ostentando a braçadeira de capitão e, de quebra, o principal goleador desse clássico em particular. Resumindo, o cara é um mito.

Tanto quanto os dois gols no empate contra a rival, chamou a atenção a selfie feita pelo artilheiro logo após marcar seu segundo tento. Uma inovação perigosa, que pode trazer conseqüências desastrosas e em escala global para o futebol, se as devidas providências não forem tomadas imediatamente.

Como os anciãos que dirigem o futebol não costumam ser rápidos para tomar decisões importantes como essa, acho válido deixar umas dicas, que podem ser bastante úteis para a boleirada que pensa em repetir o gesto já no próximo jogo. Espero, sinceramente, que sirvam para alguma coisa. Aí vão:

1) só vale selfie se for jogo grande e com casa cheia, tipo clássico com maior rival, final de campeonato etc..;

2) recomenda-se não se empolgar e mandar uma selfie depois de meter um golzinho logo aos 5 minutos do primeiro tempo. Vai que termina 4, 5 ou 6 a 1 pros caras? A internet não perdoará, nem esquecerá. Melhor não pagar para ver;

3) não é aconselhado fazer se você não for jogador de altíssima patente, com bagagem e uma história bonita e vitoriosa tanto no seu clube quanto na sua seleção e detentor de alguns recordes de gols, prêmios, participações em jogos, troféus importantes e tal;

4) NÃO BOTE A LÍNGUA PARA FORA. Não faça isso em hipótese alguma, entendeu?

5) não escreva coisas como "apenas vivendo" ou "ousadia e alegria", nem use hashtags. Apenas faça a selfie e volte para o jogo;

6) não dance! Uma papagaiada por comemoração é mais do que suficiente;

7) se você não for o Totti, é melhor não fazer.

Certas coisas só são legais na primeira vez. Essa é uma delas. De toda forma, o exemplo foi dado e o risco de que as tais selfies se tornem uma praga também no futebol é iminente. O mal precisa ser cortado pela raiz. E logo.

Veja o momento em que Totti comemora seu gol tirando uma selfie:

Siga a gente no Twitter

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.

Para saber mais rápido ainda, clique aqui.