OPINIÃO
02/04/2015 13:58 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

10 histórias (de mulheres) inspiradoras

A Páscoa marca um renascimento, tendo como figura popular a ressurreição de Jesus. Se "somos imagem e semelhança de Deus", podemos renascer também. Então elegi alguns exemplos de mulheres que, à sua maneira, "mudaram de nome" (com suas atitudes).

Você nasceu com um nome, mas pode dar um sentido novo à sua vida agora mesmo. A Páscoa marca um renascimento, tendo como figura popular a ressurreição de Jesus. Se "somos imagem e semelhança de Deus", podemos renascer também. Então elegi alguns exemplos de mulheres que, à sua maneira, "mudaram de nome" (com as atitudes abaixo). Elas fazem a vida valer a pena, o sol despertar mais bonito a cada manhã, a misericórdia se renovar. Resignifique-se também.

1. Nunca é tarde para ajudar

Nasceu Lilian, renasceu "vovó de nações". A americana Lillian Weber produz um vestido infantil por dia para crianças carentes da África. Ela tem 99 anos e deve chegar ao vestido número 1000 em breve. Os vestidos que ela costura são enviados para o continente africano por meio da organização "Little Dresses for Africa". Ela faz os modelos com o mesmo corte, mas cada um possui costuras e detalhes que diferenciam cada vestido, valorizando a individualidade e a autoestima da presenteada.

Ela faz um vestido novo todos os dias: todos mesmo, é um objetivo e uma missão. Little Dresses for Africa é uma organização beneficente cristã fundada em 2008 nos Estados Unidos. A LDFA já distribuiu mais de 2,5 milhões de vestidos em 47 países africanos em orfanatos, igrejas e escolas. Não é tarde para estender a mão e doar um pouco do que sabe em solidariedade. Sirva alguém.

2. Não desistir

Nasceu Gabrielle, renasceu "o sentido olímpico". A atleta Gabrielle Andersen Scheiss estava a apenas 400m de completar a maratona, mas estava esgotada. Mesmo assim entrou cambaleando no estádio La Coliseun em Los Angeles. A imagem marcou os Jogos Olímpicos e o imaginário mundial. Os 5 minutos finais expressaram sua agonia e a torcida para que a suíça cruzasse a linha de chegada: a imagem foi tão forte que possivelmente ninguém lembre de quem ganhou em primeiro lugar esta prova, mas todo mundo lembra de Gabrielle. Chegar primeiro nem sempre é vencer e deixar sua marca na história.

3. Lidar bem com responsabilidades

Nasceu Michelle, renasceu "dama". Nenhuma mulher no mundo é mais vista que Michelle Obama. A primeira-dama dos EUA é negra, elegante e com uma postura provinda de sua carreira vitoriosa de advogada. Ao invés de balançar na posição feminina das mais importantes do mundo, Michelle dá exemplo e cuida da imagem como quem sabe do impacto que suas ações geram no mundo.

Ela é uma mãe zelosa pra Sasha e Malia, largando sua carreira para cuidar da família quando o marido virou presidente. Michelle se engaja em temas como "Bring Back Our Girls" (em defesa das 270+ meninas nigerianas que foram raptadas), não tem medo de se posicionar na vida e na moda: usou um dress de R$60 de uma loja de varejo em um talk show da NBC (esse rosa da foto), provando que riqueza compra coisas, mas elegância é algo mais.

4. Revolucionar onde ninguém vê saída

Nasceu Marie, renasceu "radioativa". Mulheres cientistas eram ainda mais raridade no século 20. Marie Curie, uma franco-polonesa insistente, foi a primeira mulher a ganhar um Nobel. Aliás, ganhou dois: em física e química. Sua pesquisa com radioatividade a sagrou uma das mentes mais brilhantes do século. A história relata que ela ganhou esses prêmios mesmo vivendo uma intensa história de amor com Pierre Curie e lutando para vencer em uma área que nem 'machos' conseguiam reconhecimento. Use suas habilidades para mudar seu mundo.

5. Viver seu próprio conto de fadas

Nasceu Catarina, renasceu Kate. A doce Kate Middleton era uma 'plebeia' que viu seu sonho de princesa se realizar. Comparada imediatamente a outro ícone, a princesa Diana, sua simpatia a faz uma referência de moda e estilo no Reino Unido e pelo mundo. À espera da segunda herdeira real, Kate prova que todo mundo pode viver um conto de fadas à sua maneira quando conquista um objetivo. E, aos poucos, a princesa vai reinando contemporaneamente. Lembre-se de governar sua vida e seus desejos.

6. Cuidar da saúde dos outros

Nasceu Zilda, renasceu milhares. Além de cuidar de si mesmo, uma grande luta é conseguir disseminar a cultura do saudável com os outros. Zilda Arns diminuiu os índices de mortalidade infantil com a criação da Pastoral da Criança em 1983. Com isso, várias crianças chegaram à idade adulta e puderam realizar seus sonhos. Apesar de ter falecido no último grande terremoto do Haiti, em 2001, Zilda deixou um legado incrível, dando mais que a "fórmula do soro caseiro" às mães: mas dignidade de pensar em um futuro sem desnutrição e violência. Cuidar de alguém é fazer algo pelo futuro que talvez não possamos colher, mas pudemos plantar.

7. Lutar, lutar, lutar

Nasceu Maria, renasceram mulheres. Após o ex-marido tê-la tentado matar duas vezes, Maria da Penha decidiu não se calar: mesmo 'presa' a uma cadeira de rodas em decorrência da violência sofrida, Maria se sentia 'livre' ao saber que libertaria muitas mulheres com sua luta contra violência doméstica. Ela lutou 20 anos para que o companheiro fosse preso e por causa da demora da Justiça em condená-lo, a Organização dos Estados Americanos (OEA) puniu o Brasil por negligência e recomendou a criação de uma lei para o tema, em vigor desde 2006. Sua dor pode ser a cura de alguém. Mesmo ferido, não desista.

8. Escrever para inspirar

Nasceu Carmem, renasceu a voz. Talvez você não saiba, mas Carmen da Silva foi uma das primeiras colunistas feministas que, em sua coluna na Revista CLAUDIA, começou a abertura para a discussão de temas polêmicos. Se meu blog existe, se minha coluna do jornal existe com esse tema, ela tem grande influência nesta conquista. A gaúcha tinha uma coluna chamada "A arte de ser mulher", que durou de 1963 a 1984. Ela era psicanalista, jornalista e escritora. Ela usou seus dons para modernizar o jornalismo, para defender as mulheres e inspirar milhares, como nós.

9. Estudar para mudar

Nasceu Malala, renasceram sonhos. "Eu sou Malala" e todo mundo é um pouco. Malala Yosafzai voltava da escola (que frequentava escondido) quando um radical islâmico atirou em sua cabeça. O grupo fez uma proibição para que meninas estudem, fechando 150 escolas e queimando 15 alunas com ácido. Malala escrevia sobre isso para um blog na BBC de Londres. Além de criticar o sistema, a jovem temia não estudar medicina, e relatava o terror. Malala se recuperou do grave atentado e ganhou o Prêmio Nacional da Paz pela Juventude em 2011. Seu livro, com o título que abre este parágrafo, é best-seller. Estudar muda, por isso muitos temem que o povo se informe. Faça a diferença, valorize sua liberdade e renove seus conhecimentos. Sua rotina básica pode ser o sonho de alguém.

10. Quando só prosseguir já é vencer

Nasceu Glória, continua de glória em Glória. Uma mãe nunca quer perder um filho. Além dos mais nas condições que a querida Gloria Perez, novelista da Globo, perdeu Daniella. Daniella Perez foi assassinada brutalmente pelo então colega de elenco e sua esposa. Após anos do crime, Glória luta para que não só a memória de Dani seja preservada, mas que haja justiça em tudo que se engaja. A história de Glória poderia virar novela, mas é vida real e só a força dela em prosseguir com esse fardo de dor já é vencer. Vencer não é óbvio.

Pegue seu fardo, carregue com o máximo de leveza que puder. Prossiga em linha reta para o alvo, não desvie seu olhar do bem, renasça, mesmo em meio às tragédias, sobreviva mesmo com dor, viva eternamente grato por tudo, sem ressentimentos, intensamente - sabendo se arrepender e perdoar. É tudo isso que aprendo com estas histórias.

*Esta não é uma lista fechada, estamos abertos a novas inspirações e visões.

Veja mais textos como este em nosso blog www.ixigirl.com, me acompanhe no Instagram.