NOTÍCIAS
03/11/2019 14:55 -03

Globo satiriza ataques de Bolsonaro à emissora após reportagem sobre caso Marielle

Em quadro do programa, o ator Fernando Caruso imita o presidente Jair Bolsonaro em live feita na última quarta-feira (30).

Reprodução/TV Globo
Fernando Caruso caracterizado como o presidente Jair Bolsonaro no "Zorra Total".

No humorístico Zorra Total deste sábado (2), a TV Globo satirizou os ataques recentes do presidente Jair Bolsonaro à emissora. Nela, o ator Fernando Caruso imita o desabafo do presidente da República em live realizada na última quarta-feira (30), após o Jornal Nacional divulgar reportagem com informação de que o nome de Bolsonaro foi citado no caso Marielle.

Logo no início do vídeo, Caruso cita as novelas A Dona do Pedaço e Avenida Brasil para reproduzir reclamações do presidente. “Isso tudo é uma patifaria, TV Globo! Patifes! Canalhas! Como é que a Maria da Paz ganhou o Best Cake? É tudo manipulação isso daí! O brasileiro de bem sabe”, interpreta o ator.

Em seguida, ele diz: “E tem mais: como é que a Nina não tinha um pen drive com as fotos da Carminha? E agora eles estão reprisando isso daí para enganar o povo de novo, é 24 horas isso daí.”

Depois, o ator questiona, “quem garante que não foi o Jair desse Zorra Total aí que atendeu o porteiro no condomínio, hein? Patifes! Canalhas!”.

A TV Record, para quem o presidente deu entrevista após a live na quarta, é citada. “Agora eu vou dar um pulo lá no Jornal da Record. Boa noite a todos aí”, disse o ator, que tirava e colocava os óculos, assim como Bolsonaro. O vídeo com este trecho do programa está disponível no GloboPlay.

Entenda o caso 

A reportagem do Jornal Nacional teve acesso a documentos da investigação do caso Marielle e apontou que, no dia do assassinato da vereadora, em 14 de março de 2018, Elcio Queiroz, envolvido no crime, foi ao condomínio Vivendas da Barra, no Rio, onde o presidente tem residência, assim como o policial militar Ronnie Lessa, acusado de ser autor dos disparos em março de 2018.

O JN ainda aponta que, em dois depoimentos, porteiro do local reiterou ter interfonado para a casa 58 e que identificou alguém “com a voz do Seu Jair”. Elcio teria anunciado que iria à casa 58, de Bolsonaro, mas foi à 65, de Lessa. No mesmo dia, a reportagem aponta que o presidente estava em Brasília.

O presidente, que estava na Arábia Saudita quando a reportagem foi ao ar, entrou ao vivo pelo Facebook às três horas da manhã do horário local para responder à informação divulgada. 

“Qual a intenção de desgastar o governo federal? O que vocês ganham com um governo fraco? Qual a intenção de vocês? O orgasmo da TV Globo é ver alguém preso? Eu seguro a onda. Eu tenho imensa responsabilidade. Eu tenho compromisso. Apesar da imprensa porca, nojenta, canalha, imoral”, disse.

Durante a transmissão ao vivo, o presidente mostrou descontrole, falou palavrões e, em momentos de fúria, afirmou que a TV Globo tenta atacar sua imagem e disse que não renovará sua concessão, além de acusar o governador do Rio, Wilson Witzel, de ter sido o responsável pelo vazamento da informação.

“Vocês vão renovar a concessão em 2022, não vou persegui-los, mas o processo tem que estar limpo. Se não estiver limpo, não tem concessão da renovação de vocês. Vocês apostaram em me derrubar no primeiro ano e não conseguiram”, disse, sobre a TV Globo. “O senhor [Wilson Witzel] só se elegeu governador porque ficou o tempo todo colado com o Flávio, meu filho”.

Na semana passada, a emissora nota em que diz lamentar “que o presidente revele não conhecer a missão do jornalismo de qualidade e use termos injustos para insultar aqueles que não fazem outra coisa senão informar com precisão o público brasileiro.”

Em conversa com jornalistas no último sábado (2), o presidente afirmou que teve acesso aos áudios das ligações realizadas entre a portaria e as casas do condomínio em que mora, Vivendas da Barra antes que, segundo ele, os áudios fossem adulterados. No entanto, não especificou a data em que retirou os arquivos da portaria do condomínio.