NOTÍCIAS
27/02/2019 13:31 -03 | Atualizado 27/02/2019 13:32 -03

Brincadeira de José de Abreu, que se autoproclamou presidente, gera reação de Frota na Câmara

"Existe uma diferença, na Venezuela tem um ditador assassino que afundou o país, aqui nós temos um presidente que está levantando o País afundado pelo PT", afirmou o deputado Alexandre Frota.

Montagem/Twitter/Facebook
Alexandre Frota foi à tribuna reclamar de José de Abreu, que se autoproclamou presidente do Brasil.

Muito gente ainda não reparou, mas o Brasil tem um novo “presidente” desde segunda-feira (25). É o ator José de Abreu, que se autodeclarou presidente do Brasil, em referência irônica ao líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, autodeclarado presidente e reconhecido pelo Brasil e outros países como os Estados Unidos e Argentina.

Direto da Grécia, o ator fez o anúncio no Twitter e incluiu a decisão de soltar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O ator é um apoiador histórico do PT.

O ~novo presidente~ foi rapidamente reconhecido no Twitter pela militância petista e pelos que repudiam o presidente Jair Bolsonaro:

 ‘Você não vale nada’

A repercussão da ~mudança na política brasileira~ levou o deputadoAlexandre Frota (PSL-SP) ao plenário da Câmara dos Deputados para criticar o ator. Além de ter chamado Zé de Abreu de covarde, “socialista que adora Paris, Nova York, Miami”, Frota disparou em defesa de Bolsonaro:

“Existe uma diferença, lá [Venezuela] tem um ditador assassino que afundou o país, aqui nós temos um presidente que está levantando o País afundado pelo Partido dos Trabalhadores. Zé de Abreu, você não vale nada.”

No Twitter, houve quem lembrou um pequeno detalhe que diferencia Guaidó do ator. 

As críticas, entretanto, não fizeram Zé de Abreu renunciar. Ele segue...

Drama na Venezuela

A Venezuela vive uma das crises mais agudas de sua História recente. Além de um governo considerado ilegítimo devido às eleições de maio passado, marcadas por denúncias de fraudes, o país vizinho enfrenta uma crise econômica que levou à explosão da fome e desabastecimento de bens. 

Nicolás Maduro é considerado ditador por prender oposicionistas e restringir a liberdade da imprensa. Nesta terça-feira (26), ele mandou deportar jornalistas que fizeram perguntas que lhe incomodaram. Ele tem o apoio das Forças Armadas e do Judiciário.

Guaidó era presidente da Assembleia Nacional venezuelana antes de ser proclamado presidente interino do país — sendo reconhecido por nações estrangeiras.