NOTÍCIAS
14/04/2020 16:49 -03 | Atualizado 14/04/2020 19:04 -03

Wilson Witzel é diagnosticado com novo coronavírus: 'Não escolhe ninguém'

Em tuíte, governador do Rio de Janeiro ressalta orientação para pessoas ficarem em casa. No fim da tarde, governador do Pará informou que também testou positivo para covid-19.

Adriano Machado / Reuters
Governador do Rio de Janeiro sentia sintomas desde a última sexta-feira (10).

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), anunciou que testou positivo para o novo coronavírus. Em vídeo postado nesta terça-feira (14), ele contou que vai continuar trabalhando do Palácio das Laranjeiras.

Witzel começou a apresentar sintomas respiratórios na sexta-feira (10). Ele disse que teve febre, dor de garganta e perda de olfato. Por isso, decidiu fazer o exame.

“Peço mais uma vez que fiquem em casa”, ressaltou aos moradores do Rio. “A doença não escolhe ninguém, e o contágio é rápido.”

O governador se compromete a manter todas as recomendações médicas de isolamento e restrição de contato com outras pessoas. “Tenho certeza de que vou superar mais essa dificuldade.” Ele acrescenta que está se sentindo bem neste momento.

No final da tarde desta terça, o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), também anunciou que testou positivo para covid-19. No último sábado, ele fez exame que deu inconclusivo. Repetiu nesta terça, que acusou positivo.

Barbalho informou que está assintomático e que seus familiares estão bem. “Fica em casa”, também apelou o governador aos paraenses.

Witzel X Bolsonaro

Junto com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), Witzel foi uma das vozes mais ativas a favor do isolamento social e das medidas mais duras na circulação de pessoas a fim de controlar a pandemia no País.

Essa defesa também colocou Witzel em rota de colisão com o presidente Jair Bolsonaro, que é favorável ao distanciamento social seletivo, só com os grupos de risco em casa. Ou seja, apenas idosos e pessoas com doenças crônicas não iriam para a rua.

O Rio de Janeiro está de quarentena até o dia 30 de abril — apenas serviços essenciais estão funcionando. A maior preocupação das autoridades sanitárias do estado é com o número de casos na capital fluminense, região metropolitana, Baixada Fluminense e na cidade de Volta Redonda, no sul do Rio.