MULHERES
18/08/2019 02:00 -03

73% das mulheres ainda estão confusas sobre o que é a vulva

Eis um diagrama para você repassar as aulas de biologia que não teve na escola.

Adene Sanchez via Getty Images

Periquita, xoxota, vagina... Inúmeros termos são usados para se referir à genitália feminina, mas parece que muita gente ― em especial as próprias mulheres ― ainda está confusa em relação ao que acontece lá embaixo.

Cerca de 73% das mulheres não sabem tecnicamente o que é a vulva, segundo uma pesquisa do Bodyform, marca britânica de produtos femininos.

O termo se refere ao conjunto das partes externas dos órgãos genitais femininos. Mas muita gente usa “vagina” como um termo genérico, o que pode confundir um pouco as coisas na hora de conhecer melhor o próprio corpo.

Adene Sanchez via Getty Images
Uma em cada 10 mulheres afirmou ter ouvido comentários negativos de parceiros a respeito do aspecto da vulva.

Em parceria com a ONG Brook, a Associação Britânica de Ginecologia Pediátrica e Adolescente criou um “guia da vulva” para adolescentes e jovens mulheres.

Mas, para adultas de todas as idades que precisam repassar as aulas de biologia, o diagrama abaixo pode ajudar.

A vulva é composta por todos os órgãos externos, incluindo o monte de púbis, os lábios maiores e menores, o clitóris e as aberturas externas da uretra e da vagina (veja abaixo).

BRITSPAG
Monte de púbis, os lábios maiores e menores, o clitóris e as aberturas externas da uretra e da entrada do canal vaginal.

Depois de mostrado o que é uma vulva, 61% das mulheres entrevistadas na pesquisa afirmaram acreditar que a sociedade as pressiona a garantir que sua vulva tenha uma determinada aparência.

Mais de quatro em cada dez (42%) disseram sentir vergonha de suas vulvas, um número que chega a chocantes 63% entre as mulheres de 18 a 24 anos.

Uma em cada 10 mulheres afirmou ter ouvido comentários negativos de parceiros a respeito do aspecto da vulva, e quase metade disse sentir vergonha de mostrá-la – incluindo para médicos e ginecologistas.

A pesquisa fez parte da campanha “Viva La Vulva”, da Bodyform, que tem o objetivo de incentivar as mulheres a saber mais sobre seus corpos e a reconhecer que toda mulher é diferente ― e que isso não é um problema.

Kelly Trombley, fundadora do projeto Know Your Vulva (Conheça sua vulva, em tradução livre), diz que chamar a vulva pelo seu nome correto é o primeiro passo para acabar com a opressão e a vergonha em relação ao corpo feminino.

“Nossa cultura vê a vulva como uma parte do corpo sem muita agência. É um lugar para colocar o pênis ou dar à luz a um bebê. É um lugar para depilar, limpar e deixar cheiroso para os outros”, escreveu ela num blog para o HuffPost UK.

“Vulva é uma palavra ‘anatômica’ só porque é assim que a mantêm, escondida atrás de uma grande camada de vergonha e opressão em torno da sexualidade feminina.”

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost UK e traduzido do inglês.