OPINIÃO
08/10/2020 02:00 -03 | Atualizado 08/10/2020 08:42 -03

Os Votos da Flórida

O estado é estratégico para vencer no âmbito nacional e é onde o resultado é imprevisível no atual embate eleitoral.

CHANDAN KHANNA via Getty Images
Flórida é estado-chave na disputa entre Donald Trump e Joe Biden.

Tradicionalmente Ohio é aquela parte do território dos Estados Unidos que nos indica o vencedor das eleições presidenciais. Isso se explica porque o estado do meio-oeste traduz em suas fronteiras as principais características do país. Nesta eleição, contudo, o campo de batalha mais importante tem se tornado a Flórida. Não somente pelas suas particularidades, mas como o local mais estratégico para vencer no âmbito nacional e onde o resultado é imprevisível no atual embate eleitoral.

Ali, em todos os pleitos recentes a diferença entre republicanos e democratas varia em torno de 1%. Nas eleições de 2018, o atual governador Ron DeSantis, aliado de Trump, venceu o candidato democrata Andrew Gillum por 49,59% contra 49,19%. Naquele mesmo ano, o ex-governador republicano Rick Scott venceu o Senador Bill Nelson, ganhador das 3 disputas anteriores, por 50,06% contra 49,93%. Os resultados ficaram em disputa por 12 dias seguindo a recomendação legal de recontagem quando a margem de vitória é menor de 0,5%.

Em 2016, Trump venceu no estado com 49,02% contra 47,82% de Hillary Clinton. Uma margem de apenas 1,2%.

Em 2012, Obama venceu Mitt Romney por uma margem ainda menor: 50,01% contra 49,13%. No pleito estadual de 2014, o então governador Rick Scott venceu por uma diferença de apenas 1% contra o ex-governador Charlie Crist, que havia trocado de partido. A eleição anotou 48,1% para Scott e 47,1% for Crist. Como vemos, vencer na Flórida não é tarefa fácil. Estamos diante de um dos estados mais disputados da política americana.

Para entendermos a importância da Flórida, se Biden vencer no estado, Trump precisará realizar uma ginástica de vitórias para compensar a perda.

O atual presidente teria que vencer no Arizona, Michigan e Carolina do Norte, estados que estão em disputa aberta, além de vencer em uma combinação de Minnesota e Wisconsin ou Pensilvânia, assim como New Hampshire e ainda levar os 2 votos do Nebraska e Maine (que dividem os delegados proporcionalmente), mantendo Ohio e Iowa. Como vemos, seria muito mais simples conquistar os votos da Flórida.

Este artigo é de autoria de articulista do HuffPost e não representa ideias ou opiniões do veículo. Assine nossa newsletter e acompanhe por e-mail os melhores conteúdos de nosso site. 

Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost