LGBT
07/06/2019 18:54 -03

Casal de mulheres é alvo de agressão em Londres após recusarem se beijar

Melania Geymonat e sua namorada, Chris, foram atacadas por um grupo de homens. Nesta sexta, 4 adolescentes foram detidos por suposto envolvimento no caso.

Reprodução/Facebook

Um casal de lésbicas foi alvo de violência na noite da última quarta-feira (29) em um ônibus na área central de Londres. Melania Geymonat e sua namorada, Chris, foram agredidas por um grupo de homens após terem se recusado a se beijarem na frente deles.

Elas estavam dentro de um ônibus quando um grupo se aproximou e ordenou que elas trocassem carícias para que eles observassem. Eles jogaram moedas para as mulheres e quando elas se negaram, pelo menos três homens partiram para a agressão física e deram socos nelas. 

Geymonat quebrou o nariz e está afastada do trabalho, segundo informações do HuffPost UK.

De acordo com o relato das vítimas, publicado em um post no Facebook, os homens também roubaram suas bolsas e os celulares.

“Eles começaram a se comportar como selvagens, exigindo que nos beijássemos para que pudessem assistir, chamando-nos de ‘lésbicas’ e simulando posições sexuais”, escreveu Geymonat. 

Ela acrescentou que “está cansada de a violência ter se tornado algo comum” e disse que é preciso “ver uma mulher com o rosto sangrando” para que as pessoas tenham empatia.

“Estou cansada de ser vista como um OBJETO SEXUAL, de descobrir que essas situações são comuns, de amigos gays que foram espancados”, desabafou.

Após o relato ser publicado nas redes sociais, a polícia britânica iniciou uma investigação sobre o caso. Nesta sexta-feira (7), quatro adolescentes foram presos suspeitos de cometerem o crime. Eles têm entre 15 e 18 anos.

De acordo com o detetive responsável pelo caso, o ataque contra as mulheres foi um ato “repugnante”. 

“Duas mulheres foram alvo de um grupo de jovens. Os suspeitos fizeram vários comentários LGBTfóbicos para o casal antes de jogar moedas neles.

O prefeito de Londres Sadiq Khan considerou a violência “nojenta e misógina” e pediu que testemunhas fossem até as autoridades denunciar o ocorrido. 

 

(Com informações do HuffPost UK)