Em isolamento, brasileiro sonha com viagem para EUA, Argentina e Foz do Iguaçu

Pesquisa de tendências do Kayak mostra crescente interesse por passagens para essas localidades, mesmo com fronteiras fechadas e necessidade de distanciamento social.

Desde o começo da pandemia de coronavírus, o Brasil acumula mais de um milhão de infectados e 50 mil mortos e deve seguir uma eterna recomendação para ficar em casa. Mesmo assim, os brasileiros parecem dar sinais de que estão começando a sonhar com viagens no futuro.

De acordo com o Kayak, plataforma de buscas de viagens, mesmo com tudo muito incerto, houve um aumento no número de brasileiros pesquisando passagens aéreas. Os dados apontam para um tímido sinal de recuperação no setor de turismo.

Nesta semana, por exemplo, houve um aumento de 26% no número de buscas dentro do Brasil por passagens para a cidade de Foz do Iguaçu, um dos maiores pólos de turismo no País.

O dado mostra uma pequena tendência de aumento no desejo pelo turismo regional, estimulado pelo município ser um dos primeiros a começar a receber visitantes no Paraná. Além disso, desde o começo da pandemia, Foz do Iguaçu apresenta ao todo 394 casos e 4 mortes.

Os destinos internacionais também apresentaram aumento no número de buscas por passagens: Orlando (EUA) e Buenos Aires (Argentina) tiveram um aumento de 18% enquanto Nova York (EUA) e Los Angeles (EUA) cresceram 15%.

A Argentina está com as fronteiras do país fechadas pelo menos até o dia 1º de setembro de 2020. Ou seja, nos próximos meses não há a menor possibilidade de os brasileiros viajarem para Buenos Aires.

Já os voos saindo do Brasil para os EUA estão proibidos desde o último dia 29 de maio. Por meio de decreto do presidente Donald Trump, o país ainda restringiu a entrada de estrangeiros que passaram por terras brasileiras 14 dias antes da viagem. Também não há a menor possibilidade de viagem pra lá.

Os números apontam que embora não seja a hora, o brasileiro parece que, muito timidamente, começou a sonhar com a possibilidade de viajar. Mas ainda não tem data certa para ir a Orlando conhecer a Disney, um dos destinos mais procurados pelos brasileiros.