MULHERES
09/05/2020 06:00 -03

Aos 40, mudei de país, larguei carreira, casa, amigos e recomecei do zero

O 8º depoimento do projeto "Prazer, Sou Mãe" é da consultora de imagem Vanessa Kapinski, que resolveu enfrentar o medo da solidão e deu uma guinada no seu destino.

Divulgação/Arquivo Pessoal
Vanessa Kapinski e o filho, hoje com 6 anos, moradores dos Estados Unidos.

Aos 13 anos achava que o ano 2000 seria um marco na minha vida. Na minha imaginação, aos 30 anos estaria casada e com 3 filhos. Vida segue, e segue bem diferente das expectativas daquela menina. Aos 30 eu ainda não era casada e muito menos tinha filhos, mas tinha uma carreira em ascensão da qual me orgulhava e para a qual tinha dedicado muita energia.

Assim segui durante mais 10 anos, sem pensar muito se família deveria fazer parte da minha história, afinal o “amor da minha vida” não tinha exatamente corpo e alma. Meu trabalho me bastava.

Mas aos 37 anos senti medo… Medo da solidão, de não ter ninguém pra amar, de não ser amada, de envelhecer sozinha, medo, medo, medo… E principalmente medo de não me dar a chance de ser mãe. Tinha medo de que em 3 anos minha vida acabaria e de que sonhos não fariam mais parte da minha existência.

E foi então que pela primeira vez senti a necessidade de mudar; percebi que o medo não deveria tomar conta de mim, afinal eu sou a responsável por controlar meu destino.

Passei a acreditar que nem tudo tem que ser na ordem e sequência que imaginamos, que devemos dar oportunidade aos nossos sonhos. Tive que ser corajosa o suficiente para redesenhar o percurso da minha história.

Aos 40 anos mudei de país, larguei carreira, família, casa e amigos e recomecei do zero. Essa mudança não foi nada simples. Muitos questionamentos internos, de quem assistia de perto e de longe, mas foi assim que permiti que alguém entrasse na minha vida, foi assim que me casei e aos 43 anos tive meu filho.

Se alguém me perguntasse como foi estar grávida “nessa idade”, se não fosse o medo que os médicos cheios de estatísticas fazem você passar, diria que estar grávida foi uma das melhores sensações que senti na vida. Ter um filho numa fase tardia não foi algo premeditado, foram acontecimentos que ocorreram de uma forma incalculada.

Nunca é tarde pra recomeçar, nunca é tarde para realizar qualquer sonho que seja. A vida não é tão curta quanto dizem por aí, mas é valiosa e todo dia te dá uma nova oportunidade para conquistar aquilo que deseja.

Acredito que muitas mulheres passem pelo que passei. Eu costumo dizer que muitas vezes a gente se distrai no caminho e quando pisca... Todo mundo já casou, teve filhos e você ainda não encontrou a pessoa certa pra dividir uma história com você.

No entanto, acredito muito que nunca é tarde pra recomeçar, nunca é tarde para realizar qualquer sonho que seja. A vida não é tão curta quanto dizem por aí, mas é valiosa e todo dia te dá uma nova oportunidade para conquistar aquilo que deseja. Imagine… Cada dia! Todos os dias! Todos os minutos você pode mudar toda uma história.

Olho para o meu filho com 6 anos de idade e agradeço pelo dia que a vida me deu a chance de mudar meu destino e traçar uma linha diferente. Hoje, confinados em casa por conta de uma pandemia lá fora, vejo o significado disso tudo.

Estarmos usufruindo da companhia um do outro num momento tão difícil e complicado me faz perceber claramente o significado da palavra família e a beleza nesta conexão que estamos mais uma vez construindo, uma relação mãe e filho ainda mais fortalecida.

Entendo como minha vida faz sentido agora. Tudo me foi tirado e dado na hora certa. E por isso que eu tenho certeza que, se eu encontrasse aquela menina de 36 anos atrás e contasse para ela minha história cheia de percalços, dúvidas, emoções e alegrias, ela certamente concordaria comigo e torceria pra que tudo desse errado no conto de fadas pra que desse certo no final — na vida real.

Vanessa Kapinski é dona do 8º depoimento do projeto Prazer, Sou Mãe. Ela é paulistana, casada, mãe de um menino de 6 anos, moradora dos Estados Unidos há 10 anos, atualmente em Seattle. É Consultora de Imagem e Vice Presidente de Marketing da Association of Image Consultants International - West Coast e escreve sobre maternidade no antigo Instagram @nascer_aos_40 que hoje leva o seu nome.