COMPORTAMENTO
06/04/2019 04:00 -03

Vacinação de cachorros e gatos: Donos devem seguir calendário anual

Vacinar em dia previne série de doenças e pode salvar a vida do seu animal de estimação.

damedeeso via Getty Images
Tutores de cães e gatos devem respeitar calendário anual de vacinas.

Quando somos bebês, nossas mamães e papais seguem religiosamente as datas estabelecidas pelos médicos pediatras para manter nossas carteirinhas de vacinação em dia e, com isso, evitar doenças graves e garantir um crescimento saudável e livre de maiores problemas, certo?

A preocupação para com  a saúde dos pets deve ser exatamente igual. Assim como os humanos, cachorros e gatos têm um calendário próprio de vacinação e, para garantir que cresçam saudáveis e felizes ao nosso lado, precisamos cuidar deles como verdadeiros papais e mamães.

Apesar de não existir um calendário oficial dedicado exclusivamente à saúde dos pets, há indicações de quais vacinas precisam ser obrigatoriamente aplicadas nos bichinhos, especialmente nos primeiros meses de vida.

Segundo a médica veterinária Ingrid Stein, que presta serviços para a plataforma DogHero, o protocolo mais usado no Brasil começa a valer quando o pet alcança 45 dias de vida e pode ser “desmamado” - o leite materno fornece os primeiros anticorpos para resguardar o bichinho nesse período pré-vacinação.

As vacinas destinadas a cães e a gatos são distintas e precisam seguir cronogramas específicos.

Para cães filhotes

  • Primeira dose da Polivalente: entre 6 e 8 semanas de vida
  • Segunda dose da Polivalente: entre 10 e 12 semanas de vida
  • Gripe canina + Giardíase (não obrigatórias): 12 semanas de vida
  • Terceira dose da Polivalente: entre 14 e 16 semanas de vida
  • Reforço da Gripe canina + Giardíase: 16 semanas de vida
  • Primeira dose da Antirrábica: a partir de 120 dias de vida
  • Polivalente e antirrábica: reforço anual

Para cães adultos ou que não tenham sido vacinados

  • Primeira dose da Polivalente e da Antirrábica: acima de 12 semanas de vida
  • Segunda dose da Antirrábica: 21 a 30 dias após a aplicação da 1ª dose
  • Polivalente e Antirrábica: reforço anual

Para gatos filhotes

  • Primeira dose da Múltipla: 60 dias de vida
  • Segunda dose da Múltipla: 90 dias de vida
  • Primeira dose da Antirrábica: 120 dias de vida
  • Múltipla e Antirrábica: reforço anual

Para gatos adultos ou que não tenham sido vacinados

  • Primeira dose da Múltipla e da Antirrábica: a partir dos 120 dias de vida
  • Segunda dose da Múltipla: 21 a 30 dias após a aplicação da 1ª dose
  • Múltipla e Antirrábica: reforço anual

 

SbytovaMN via Getty Images

O que a vacina polivalente previne?

As vacinas chamadas de polivalente e também conhecidas como V8, V10, V11 e V12 têm um amplo espectro de atuação e, por conta disso, protegem os pets das principais ameaças contra a saúde deles.

A V8, uma das mais populares, costuma ser suficiente nas principais regiões do País, e é mais em conta do que as demais polivalentes. A proteção da V8 é contra as seguintes doenças: adenovirose, cinomose, coronavirose, hepatite infecciosa canina, leptospirose, parainfluenza canina e parvovirose.

Algumas das doenças mais perigosas, como a cinomose, possuem taxas de mortalidade extremamente altas, mas podem ser prevenidas com a vacinação anual. A raiva, apesar de praticamente extinta no País, também é considerada de alto risco, principalmente porque pode ser transmitida para os seres humanos.

As vacinas V10, V11 e V12 possuem outros soros da bactérias leptospira e, portanto, são mais completas. Elas, no entanto, só são indicadas se você morar em regiões onde a V8 não tem ação suficiente.

As vacinas Múltiplas, destinadas para os felinos, previnem rinotraqueíte, clamidiose, calicivirose, panleucopenia e leucemia felina.

Reações às vacinas

Assim como acontece com os seres humanos, cães e gatos podem apresentar reações alérgicas após serem vacinados. Apesar de raras, as reações costumam assustar os papais e mamães que não estão acostumados.

Segundo o Canal do Pet, as reações alérgicas se manifestam nos primeiros 3 dias após a aplicação, mas, geralmente, não precisam de intervenções medicamentosas para desaparecer.

Entre os principais sintomas que podem aparecer após a vacinação estão: sonolência, distanciamento do dono, sensibilidade no local da aplicação, transtornos gastrointestinais, inflamações e edemas.

Os donos precisam se atentar, no entanto, para um sintoma que, se aparecer, será de extrema gravidade: o choque anafilático. Ele ocorre, na verdade, minutos ou poucas horas após a aplicação, mas pode levar o animal à morte se não for observado, pois incha o focinho e a garganta do pet e dificulta o funcionamento das vias respiratórias.