Como cuidar de suas unhas para que elas não sejam um repositório de germes

Se você gosta de unhas compridas, talvez seja a hora de cortá-las.

As restrições das interações sociais em todo o mundo são fundamentais para frear a disseminação do coronavírus. À medida que nos adaptamos a essa nova normalidade, muitas das rotinas antigas, como usar unhas postiças ou esmalte de gel, têm sido evitadas. Mas há um bom motivo para não deixar de cuidar das unhas, que não tem nada a ver com a aparência: elas podem ser um importante foco de vírus e bactérias, especialmente se forem compridas.

Para evitar que suas unhas tornem-se uma ameaça para sua saúde, a edição americana do HuffPost entrou em contato com vários especialistas para saber qual a melhor maneira de manter as unhas limpas.

Más notícias: é hora de cortar as unhas

A dermatologista Jessica Krant tem uma má notícia para quem gosta de deixar as unhas compridas: agora não é a melhor hora para isso.

“O ideal é manter as unhas curtas, bem lixadas e limpas”, afirma Krant.

“Normalmente, isso só se aplica a quem trabalha com saúde, mas hoje em dia, com o covid-19, todos devemos manter nossas unhas o mais livre possível de germes.”

Ela diz que a melhor maneira de fazer isso é manter as unhas sempre bem aparadas, com cerca de 1 ou 2 milímetros de branco aparecendo e com o formato natural na ponta da unha. “Também é muito importante alisar as arestas com uma lixa”, afirma Krant. “Isso garante que elas permaneçam fortes e também mais fáceis de limpar e de usar luvas de proteção.”

“O ideal é manter as unhas curtas, bem lixadas e limpas.”

Se quiser mantê-las compridas, compre uma escovinha.

Sarah Gibson Tuttle, fundadora e CEO da Olive & June, um salão de manicures com sede em Los Angeles, recomenda trocar as lixas a cada 3 meses, além de lavar bem as ferramentas de metal após cada uso.

“Germes podem viver em unhas independentemente do comprimento, mas é claro que as compridas são mais problemáticas”, diz Tuttle ao HuffPost.

“O essencial é lavar e secar as mãos de maneira consistente e adequada. Para garantir que você está limpando embaixo da unha, você também pode usar uma escovinha com sabão antibacteriano. E lembre-se também de limpar a escovinha.”

Não se empolgue com o cortador de unha.

Tem unha curta e unha perigosamente curta, explica Krant.

“NÃO corte toda a parte branca”, afirma a dermatologista. “Você pode machucar o leito ungueal, o que significa risco de infecções.”

Espere o gel secar bem.

Esmaltes de gel espessos podem criar pequenas fendas, onde germes e bactérias podem se acumular. Melhor livrar-se deles.

Ficar com as mãos paradas enquanto esperamos a remoção completa do gel pode ser chato, mas nestes tempos ninguém anda com tanta pressa, especialmente pra fazer as unhas.

“Tirar o gel completamente demora”, afirma Tuttle. “Recomendo fazer isso enquanto você conversa com algum amigo por videoconferência ou então enquanto assiste TV. Assim você corre menos risco de parar antes da hora. Você precisa de lixa, acetona, papel alumínio e uma toalha quente, como bônus.

“Primeiro, lixe um pouco para quebrar a vedação da camada externa do gel. Em seguida, coloque bolas de algodão embebidas em acetona nas unhas e enrole a ponta dos dedos em papel alumínio. Idealmente, deixe de molho até que o gel descole completamente, o que leva entre 10 e 15 minutos. Também gostamos de enrolar os dedos em uma toalha quente, para agilizar o processo. O mais importante é ter paciência para permitir que o gel se solte completamente. Muito cuidado, por favor!”

Se você tem unhas de acrílico, prepare-se para assistir um filme.

“O processo de remoção das unhas de acrílico é semelhante ao do gel, mas muito mais longo”, diz Tuttle. “Você primeiro precisará cortar a borda da unha de acrílico antes de lixá-la, para romper a vedação. Você também precisará deixar as unhas de molho por quase uma hora até que as unhas de acrílicos se soltem com facilidade.”

Caso você fique doente e precise procurar atendimento médico, talvez seja melhor remover completamente o esmalte.

Krant dá algumas dicas sobre unhas de uma perspectiva completamente diferente.

“Quando você vai ao hospital, os médicos precisam colocar um oxímetro na ponta de um dos seus dedos”, afirma ela.

“Esse equipamento ajuda a verificar se pulmões estão conseguindo levar oxigênio para o resto do seu corpo. Com a covid-19, essa é uma medida crítica para determinar seu estado de saúde. Embora nem todos os profissionais médicos estejam de acordo, Krant disse que o esmalte pode interferir na medição. Às vezes o hospital tem acetona para retirar o esmalte, mas não conte com isso. Unhas artificiais compridas demais também podem impedem totalmente o uso de o oxímetro de dedo. “O hospital pode ter outros métodos simples para seus níveis de oxigênio, ou não.”

Agora que você já sabe quais são as melhores práticas, mãos à obra!

* Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.