NOTÍCIAS
03/09/2020 12:08 -03

Trump diz para eleitores votarem 2 vezes – e cometerem um crime

O presidente recomendou que a população da Carolina do Norte votasse pessoalmente e pelo correio; Trump tem insistido que o voto por correio é suscetível a fraudes.

ASSOCIATED PRESS

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse na quarta-feira (2) que a população do Estado da Carolina do Norte deveria votar duas vezes na eleição de novembro, uma em pessoa e outra pelo correio, embora fazer isso seja um crime.

“Deixe-os mandar o voto e deixe-os ir votar”, disse Trump em uma entrevista ao canal WECT-TV de Wilmington, na Carolina do Norte, quando indagado sobre a segurança da votação pelo correio. “E se o sistema é tão bom quando dizem, obviamente não conseguirão votar” em pessoa.

Votar mais de uma vez em uma eleição é ilegal e, em alguns Estados, como a Carolina do Norte, é um crime.

Trump fez campanha no Estado que é considerado um dos campos de batalha cruciais em eleições presidenciais nos EUA, pois o eleitorado pode escolher tanto candidatos presidenciais republicanos quanto democratas, ao contrário de outros Estados que tradicionalmente se inclinam a um dos partidos.

As cédulas a serem encaminhadas pelo correio na Carolina do Norte devem ser enviadas na sexta-feira.

Tum Murtaugh, um representante da campanha de Trump, disse à NBC News na quarta-feira que o presidente estava encorajando as pessoas a votarem por correio e “depois comparecerem pessoalmente nos locais de votação para verificiar se seu voto já foi contado”.

Mas o procurador-geral da Carolina do Norte, Josh Stein, um democrata, respondeu no Twitter afirmando que Trump, que é republicano, “incentivou desavergonhadamente” os moradores da Carolina do Norte “a violarem a lei de maneira a ajudá-lo a semear o caos em nossa eleição”

“Certifiquem-se de votar, mas NÃO votem duas vezes! Farei tudo em meu poder para garantir que a vontade do povo seja manifestada em novembro”, acrescentou na rede social.

O secretário de Justiça dos EUA, William Barr, disse à CNN que Trump “estava tentando ressaltar que a capacidade de monitorar este sistema não é boa”. Informado de que votar duas vezes é ilegal, ele disse: “Não sei o que a lei do Estado em particular diz.”

Barr disse que a votação pelo correio para a eleição de 3 de novembro pode ser vulnerável a fraudes, ecoando um argumento que Trump utiliza para criticar essa modalidade de voto, que deve aumentar em meio à pandemia de coronavírus.

Trump já disse que ela é suscetível a fraudes de larga escala, mas especialistas dizem que fraudes eleitorais de qualquer tipo são raras nos EUA.

A votação pelo correio tampouco é nova no país ―quase um de cada quatro eleitores contribuiu com sua cédula desta maneira em 2016.

Trump acusa os democratas de tentarem roubar a eleição pressionando o uso da votação pelo correio. Recentemente, sua campanha de reeleição processou Estados como Nova Jersey e Nevada por ampliarem o acesso à votação pelo correio.

Os democratas dizem que Trump e colegas republicanos estão tentando suprimir o voto para ajudar suas chances eleitorais.