NOTÍCIAS
06/06/2020 11:26 -03 | Atualizado 06/06/2020 11:42 -03

TCU e Câmara buscam transparência após governo esconder dados da covid-19

Enquanto isso, governo tira Portal da Transparência do ar e Ministério da Saúde quer recontar o número de mortos pelo novo coronavírus no Brasil.

Depois de o governo dificultar a divulgação de dados com números de mortos e novos casos confirmados da covid-19 no Brasil por três dias seguidos, o Tribunal de Contas da União (TCU) e a Câmara dos Deputados pressionam o Ministério da Saúde por transparência.

Na noite desta sexta-feira (5), o ministro do Tribunal de Contas da União, Bruno Dantas, escreveu em seu perfil no Twitter que cogita propor ao TCU e aos tribunais estaduais um levantamento próprio dos dados de infectados, curados e mortos por covid-19 no Brasil. A divulgação seria feita diariamente até às 18h00. 

O presidente da Câmara Rodrigo Maia, também manifestou preocupação com a dificuldade na divulgação de dados da covid-19 no Brasil. Em entrevista ao ‘Jornal Nacional’, Maia declarou:

“A Câmara com certeza vai trabalhar com os estados e a sociedade civil para organizar as informações para a sociedade. O ideal é que o governo restabeleça isso o mais rápido possível, espero que nos próximos dias o Ministro da Saúde compreenda que informar é fundamental para a sociedade no Brasil”. 

Um projeto de lei de autoria dos deputados Felipe Rigoni (PSB-ES) e Tabata Amaral (PDT-SP) quer alterar a lei aprovada em fevereiro para tratar do enfrentamento do coronavírus no Brasil. Atualmente, o Ministério da Saúde é obrigado a divulgar os dados públicos e atualizados sobre os casos confirmados, suspeitos e em investigação no País.

A alteração propõe obrigar o governo a divulgar casos suspeitos e confirmados por idade, sexo, raça, doenças preexistentes e comorbidades, número de testes realizados e que aguardam resultado, curas, taxas de mortalidade e letalidade, além de número de profissionais da saúde confirmados.

A proposta pode ser pauta por Rodrigo Maia já na semana que vem. Em entrevista ao jornal O Globo, Rigoni explicou que “qualquer decisão, especialmente em um momento como esse, só pode ser tomada com base em dados”. 

Governo “reconta” o número de mortos e presidente diz que “acabou matéria no Jornal Nacional”

Indo na contramão da transparência da divulgação dos dados, o Ministério da Saúde está recontando o número de mortos por covid-19 no Brasil.

Carlos Wizard, que vai assumir como responsável pela Secretaria da Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde disse, em entrevista para a jornalista Bela Megale, que “tinha muita gente morrendo por outras causas e os gestores públicos, puramente por interesse de ter um orçamento maior nos seus municípios, nos seus estados”.

Na noite desta sexta-feira (5), o presidente Jair Bolsonaro foi questionado pela imprensa na frente do Palácio do Planalto sobre o atraso na divulgação dos dados de covid-19 no Brasil. A resposta dele foi: “acabou matéria do Jornal Nacional”.

Ele declarou que o novo horário para a divulgação dos dados seria para o ministério pegar os dados mais consolidados, mas depois voltou a mencionar a Rede Globo, dizendo: “Ninguém tem que correr para atender a Globo”.

Andressa Anholete via Getty Images
Presidente Jair Bolsonaro encontra jornalistas e apoiadores na porta do Palácio da Alvorada na noite desta sexta-feira (5).

A edição do Jornal Nacional da noite de sexta-feira (5) mostrou uma reportagem de nove minutos sobre a importância da divulgação dos dados do novo coronavírus e encerrou sem exibir os números do dia, não divulgados pelo governo.

O Ministério da Saúde apresentou os dados da covid-19 às 21h43, dez minutos após o fim do ‘JN’. Então a Globo interrompeu a programação (que exibia a novela ‘Fina Estampa’) com um Plantão em que William Bonner, ainda na bancada do Jornal, apresentou os dados. 

Nesta sexta-feira, foram confirmadas 1.005 mortes pelo novo coronavírus no Brasil. O total de óbitos soma 35.026, de acordo com balanço divulgado pelo Ministério da Saúde nesta sexta-feira (5). Segundo a pasta, entre as confirmações mais recentes, 3.827 mortes ocorreram nos últimos 3 dias. Foi a semana mais crítica da pandemia no País.

Nesta quinta-feira (4), o Brasil superou a Itália no total de óbitos e se tornou o terceiro país com mais vítimas fatais da covid-19, de acordo com o mapeamento do Centro de Recursos de Coronavírus da Universidade Johns Hopkins. Até o momento, Estados Unidos e Reino Unido ocupam, respectivamente, o primeiro e segundo lugar.

A pandemia já causou mais de 391 mil óbitos no mundo. São 6 milhões de casos confirmados, de acordo com dados atualizados nesta sexta.

Na comparação internacional, o Brasil é o segundo país com mais diagnósticos, atrás apenas dos Estados Unidos, que conta com 1,8 milhão de casos.

Durante a gestão de Luiz Henrique Mandetta no Ministério da Saúde, os dados eram liberados antes das 17h, horário da entrevista coletiva do núcleo de gestão de crise, que ocorria todos os dias.

Quando o ministro era Nelson Teich, os números passaram a ser divulgados no fim do dia, por volta das 19h. Nesta semana, 22h passou a ser o horário oficial para a divulgação — depois do término dos principais telejornais, no horário nobre da TV brasileira, quando uma parcela expressiva da população está de olho no noticiário. 

Reprodução
Portal da covid-19 está em manutenção desde sexta-feira (5).

Além disso, o Ministério da Saúde está retirando do ar diversos links com documentos e boletins importantes sobre o avanço da covid-19 no Brasil. Nesta sexta-feira (5), o painel de informações e gráficos com os números da doença e de mortes por estado entrou “em manutenção”.

Até a publicação deste post, às 11h00 de sábado, o portal da covid-19 segue em manutenção. O Portal da Transparência, onde são publicados todos os dados, orçamentos e gastos do governo federal também está fora do ar.