COMPORTAMENTO
22/03/2019 19:13 -03

Sobrevivente de tiroteio em escola da Flórida comete suicídio um ano após massacre

De acordo com a mãe da garota, ela enfrentava culpa por ter sobrevivido.

Uma estudante que sobreviveu ao tiroteio em massa em Parkland, na Flórida, no ano passado, cometeu suicídio nesta semana.

Sydney Aiello frequentou a Marjory Stoneman Douglas High School, onde meses antes um ex-aluno abriu fogo, matando 17 pessoas e ferindo outras dezenas. Entre os mortos estava Meadow Pollack, de 18 anos, uma amiga próxima da jovem.

De acordo com a mãe de Sydney, Cara Aiello, a garota enfrentava a culpa de ter sobrevivido e foi diagnosticada com transtorno de estresse pós-traumático. Ela tinha dificuldade em frequentar as aulas da faculdade por sentir medo de estar dentro de uma sala de aula.

Brett Litz, professor de psiquiatria da Universidade de Boston especializado em traumas, disse que os sobreviventes de ataques como o de Parkland podem sentir uma série de efeitos.

“Não há um único caminho, mas no momento imediato (horas, dias, semanas) a maioria das pessoas fica atordoada, chocada e cheia de emoções complexas, particularmente medo e tristeza, mas também apresentam estados psicológicos de perplexidade e desespero”, explicou ao HuffPost.

É comum que os sobreviventes sintam uma certa incapacidade de continuar as atividades normais, disse o psiquiatra.

Embora a maioria dos sobreviventes não desenvolva transtornos mentais, é comum  que “sofram de sintomas de estresse pós-traumático e depressão”, disse Litz.

Ele acrescentou: “Ter apoio das pessoas mais próximas, receber atenção e possuir uma estrutura sólida, até mesmo financeira, bem como a crença ou prática espiritual podem auxiliar nesse processo. Não hesitem em buscar ajuda de um profissional”.