MULHERES
05/06/2019 19:39 -03 | Atualizado 07/06/2019 19:52 -03

Quem são as 11 jogadoras titulares que vão brigar pelo Brasil na Copa do Mundo

Mundial será disputado a partir desta sexta-feira (7), na França; Rede Globo transmitirá jogos da seleção feminina pela 1ª vez.

Divulgação/CBF
Confederação Brasileira de Futebol (CBF) compartilhou imagens oficiais da seleção brasileira para a Copa do Mundo de Futebol feminino da França.

Na Copa do Mundo de Futebol feminino da França, o Brasil conta com um “trio de ouro” para conquistar um título inédito na categoria para o País. Marta, Cristiane e Formiga estarão juntas novamente em um mundial ― e, mesmo com um histórico considerado mediano, prometem superar expectativas.

Além das três jogadoras, o técnico Vadão convocou outras 20 atletas para a disputa. Caso a atacante Marta e a zagueira Érika se recuperem de lesões ― uma na coxa esquerda, e outra no tornozelo esquerdo, respectivamente ―, o time titular que entrará em campo na primeira fase será composto por:

Bárbara (goleira), Letícia Santos (lateral direita), Mônica (zagueira), Erika (zagueira) e Tamires (lateral e meio-campo); Formiga (meio-campo), Thaísa (meio-campo), Andressa Alves (meio e ponta) e Marta (atacante); Bia Zaneratto (centroavante) e Cristiane (atacante).

No banco, ao que tudo indica, ficam: Aline, Letícia Izidoro, Poliana, Camila, Kathellen, Tayla, Luana, Andressinha, Ludmilla, Geyse, Raquel e Debbinha.

Mas em que posição cada uma das 11 joga? Qual a trajetória das jogadoras no futebol feminino? E o que esperar das atletas? Conheça as 11 jogadoras titulares que prometem trazer a vitória no Mundial para o Brasil:

Bárbara, a goleira

Divulgação/CBF
Esta será a quarta vez que Bárbara participa de um Mundial.

Bárbara Micheline do Monte Barbosa, que é natural de Recife (PE), veste a camisa da seleção brasileira de futebol como goleira há 15 anos. Segundo a CBF, na Copa do Mundo da França, ela completará uma marca histórica: esta será a quarta vez que participa de um Mundial, um recorde no futebol feminino. Ela participou de torneios em 2007, 2011, 2015, e agora, em 2019. Hoje, Bárbara representa o time Kindermann, de Caçador (SC). Atualmente, ela estuda enfermagem e cultiva o sonho de atuar na área da saúde.

Mas ela não está sozinha no gol. O time conta com outras duas goleiras: Letícia Izidoro, de 24 anos, que atualmente joga no Corinthians; ela já foi campeã da Copa América e disputará seu segundo Mundial; e Aline Reis, que é natural de Aguaí (SP) e jogou com a seleção na Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016. Aos 30 anos, ela disputará sua primeira Copa do Mundo. 

Letícia Santos, lateral direita

Divulgação/CBF
A jogadora de 24 anos defende a camisa da Seleção principal desde 2017.

Lateral do Sportclub Sand, da Alemanha, Letícia Santos defende a camisa da seleção brasileira desde 2017 como lateral direita ― mas esta será sua primeira vez em um Mundial. Com 24 anos, ela já defendeu seu país de origem na Copa do Mundo Feminina Sub-20, realizada no Canadá, em 2014. 

Mônica, zagueira

Divulgação/CBF
Depois de três anos atuando no exterior, a jogadora se sente parte da evolução do futebol feminino nacional.

Esta será a segunda Copa do Mundo da gaúcha Monica Hickmann Alves, de 32 anos. Após três anos jogando no Orlando Pride, nos Estados Unidos, ela foi contratada em abril deste ano pelo Corinthians ― e já atuou em quatro partidas pelo time de São Paulo até o momento. Além do Mundial do Canadá, em 2015, a zagueira tem em seu currículo a Olimpíada do Rio 2016, os Jogos Pan-Americanos de Toronto, em 2015, e a Copa América de 2014 e 2018. Já na base, foi bronze com o time brasileiro no Mundial Sub-20 da Rússia, em 2006. 

Érika, zagueira

Divulgação/CBF
Até 2018, Érika jogou no Paris Saint Germain e, no mesmo ano, foi contratada pelo Corinthians.

Experiente. Esta é a palavra que define Érika Cristiano dos Santos, uma das zagueiras da seleção de Vadão. Ela já jogou em mais de uma posição. Só pela seleção, também já atuou como volante e atacante. Até 2018, jogou no Paris Saint Germain e, no mesmo ano, foi contratada pelo Corinthians e foi campeã pelo time. Aos 31 anos, ela apresenta uma torção no tornozelo esquerdo e faz atividades para se recuperar o quanto antes para o Mundial.

Nesta sexta-feira (7), data de início da Copa do Mundo, a zagueira Érica foi desconvocada para o Mundial. Após dezesseis dias de tratamento, a atleta voltou a treinar com bola e foi diagnosticada com uma lesão em um músculo da panturrilha e não terá tempo hábil para recuperação. Vadão convocou Daiane, zagueira do Paris Saint-Germain para o time titular.

Tamires, lateral-esquerda

Rafael Ribeiro / CBF
Atualmente ela joga pelo Fortuna Hjørring, da Dinamarca e esta será sua segunda Copa com a camisa da seleção brasileira.

Tamires Cássia Dias Gomes nasceu em Caeté (MG). Aos 32 anos, ela é a única jogadora da seleção que também é mãe. E este é um dado que quase fez com que ela desistisse da carreira. Gomes chegou a ficar quatro anos afastada dos campos, mas conseguiu nova oportunidade em 2013. Atualmente ela joga pelo Fortuna Hjørring, da Dinamarca e esta será sua segunda Copa com a camisa da seleção brasileira. Seu filho, Bernardo, de 10 anos, é um de seus maiores fãs. 

Formiga, meio-campo

NurPhoto via Getty Images
Aos 41 anos, Formiga completa 24 vestindo a camisa da seleção canarinha.

Referência. Essa é Miraíldes Maciel Mota para a seleção brasileira ― e sua história e a do time praticamente se confundem. É quase impossível imaginar o time sem a baiana, natural de Salvador. Para os mais chegados, ela é Formiga. E não ganhou o apelido à toa. Formiga atua por todo o meio de campo: marca, desarma, avança, chuta. Segundo a CBF, ela é uma percorre a maior distância nos jogos, em média 10,5 km, sendo que 1,6 km são em corridas intensas.

Aos 41 anos, Formiga completa 24 vestindo a camisa da seleção canarinha. Ela será a atleta mais velha a disputar o torneio e esta também será sua sétima Copa do Mundo (e ela será a primeira jogadora - mulher ou homem - a fazê-lo). No Paris Saint-Germain, time que atua há dois anos, é a capitã e tem a confiança do treinador, Patrice Lair, dentro de campo. No PSG ela fica até 2020.

Thaisa, volante e meio-campo

Lucas Figueiredo/CBF
Ela esteve na última edição do Mundial, em 2015, no Canadá, e nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016.

A paranaense, de Xambrê (PR), Thaisa de Moraes Rosa Moreno, aos 30 anos, atua como volante, meio-campista, e é uma das jogadoras mais experientes da seleção brasileira. Ela esteve na última edição do Mundial, em 2015, no Canadá, e nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. Além disso, foi campeã brasileira com a Ferroviária em 2014, campeã Pan-Americana com a seleção em 2015 e a primeira jogadora brasileira a jogar no Milan, na Itália.  

Andressa Alves, atacante, meia e ponta

NurPhoto via Getty Images
Andressa se tornou a primeira brasileira a atuar no Barcelona.

Versátil. Essa é a palavra que define Andressa Alves da Silva, de 26 anos. Ela atua como atacante, meia e ponta na seleção brasileira. Natural de São Paulo, do bairro de Parada de Taipas, ela atualmente joga no Barcelona ― com a camisa 10 do time espanhol. Com isso, ela se tornou a primeira brasileira a atuar no time europeu. Em 2015, ela disputou sua primeira Copa e também jogou como titular na Olimpíada do Rio em 2016. 

 Bia Zaneratto, centroavante

Icon Sportswire via Getty Images
Natural de Araraquara (SP), ela já jogou na seleção brasileira sub-17 com a camisa 10 e concretizou carreira no time Red Angels da Coreia do Sul.

Beatriz Zaneratto João, aos 25 anos, é centroavante da seleção. O que significa que é ela quem domina o centro da linha de ataque para o gol em campo. Natural de Araraquara (SP), ela já jogou na seleção brasileira sub-17 com a camisa 10 e concretizou carreira no time Red Angels da Coreia do Sul, onde joga atualmente. Nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, ela teve bom desempenho, onde fez três gols. Esta será sua terceira Copa do Mundo. 

Em 2018 passou por uma lesão séria na clavícula, mas se recuperou. Em março deste ano, em um amistoso com os Estados Unidos, Bia sofreu um trauma de forte intensidade posterior da perna esquerda, foi substituída, mas se recuperou a tempo de embarcar para a França e disputar o Mundial. 

 

Marta, atacante (a melhor do mundo)

NurPhoto via Getty Images
Qualquer gol protagonizado por Marta no torneio na França promete elevar ainda mais seu recorde.

Com 15 gols marcados em Copas, Marta Vieira da Silva já é a maior goleadora dos mundiais femininos. Qualquer gol protagonizado por ela no torneio na França promete elevar ainda mais seu recorde. Versátil, ela pode jogar de meia-atacante, atacante, ponta ― e é responsável por mudar a história do futebol feminino no Brasil, ao lado de Formiga.

Aos 33 anos, a alagoana rouba a cena desde que tinha 17 e começou a jogar na Suécia. Aos 20, conquistou seu primeiro prêmio na Fifa e hoje, defendendo as cores do Orlando Pride, nos Estados Unidos, entrou para a História ao ser eleita melhor jogadora do mundo pela 6ª vez ― desbancando os craques internacionais Messi e Cristiano Ronaldo. Vale adicionar que Marta, nos últimos 8 anos, não tinha levado o título ― ela foi eleita a melhor do mundo por cinco vezes consecutivas.

Cristiane, atacante

ASSOCIATED PRESS
Natural de Osasco, em São Paulo, ela é a jogadora que forma o trio de ouro ao lado de Marta e Formiga.

Cristiane Rozeira de Souza Silva, aos 33 anos, vai para sua quinta Copa do Mundo como atacante. Natural de Osasco, em São Paulo, ela é a jogadora que forma o trio de ouro ao lado de Marta e Formiga. Com experiência internacional, ela é considerada a maior artilheira de jogos olímpicos de futebol, com 14 gols. Ela já jogou na Alemanha, nos EUA, na China, na França e hoje veste a camisa do São Paulo.