LGBT
06/11/2019 02:00 -03

Tim Cook, CEO da Apple: 'Ser gay não é uma limitação, é uma característica'

Recentemente, o executivo foi homenageado por sua defesa dos direitos LGBTQ no prêmio GLSEN Respect Awards.

Cinco anos depois de revelar publicamente que é gay, Tim Cook deixou claro que não tem nenhum arrependimento.

Recentemente, durante entrega do prêmio GLSEN Respect Awards, o presidente da Apple refletiu sobre sua jornada rumo a uma vida autêntica. Cook, 58, foi homenageado com o Champion Award, que reconheceu seu “compromisso duradouro com a luta pelos direitos LGBTQ e a criação de espaços seguros para integrantes da comunidade LGBTQ”.

Cook compartilhou mensagens de agradecimento que recebeu de pessoas do mundo inteiro pelo artigo publicado em 2014 na revista Bloomberg Businesweek, no qual ele falou publicamente de sua sexualidade pela primeira vez.

“Minha esperança ao abrir essa cortina da minha vida privada era ajudar alguém, qualquer pessoa”, disse ele para a plateia, que incluía o ator Jonathan Bennett e outra premiada da noite, a atriz Octavia Spencer. “Realmente não esperava a resposta que recebi nos dias, semanas e anos que se passaram.”

Uma das mensagens, explicou Cook, foi enviada por um homem de 62 anos que estava casado com uma mulher havia 28 e não tinha saído do armário. O homem “reprimia, suprimia [e] negava” seu verdadeiro eu.

“Resisti a reconhecer quem eu era porque as coisas não deveriam ser assim”, disse Cook, lendo a mensagem. “Fico feliz por saber que existem outras pessoas que estão nessa luta e que não vão decidir tomar o mesmo caminho que eu.”

Cook dedicou o prêmio ao autor da mensagem e afirmou: “Acredito que o mundo seja um lugar melhor, mais honesto e mais bonito quando temos todas as oportunidades de sermos nós mesmos”.

Antes do evento do dia 25 de outubro, Cook falou longamente sobre sua saída do armário em uma entrevista com a People em Español. Trechos foram republicados no site da edição americana da revista.

Ele disse ao jornalista Armando Correa sentir orgulho por ser o primeiro presidente de uma das maiores 500 empresas dos Estados Unidos a se identificar publicamente como gay. Cook também afirmou que sua decisão de vir a público teve “vários significados”.

“Sinto um nível de empatia que é muito maior que a média, porque quando você é gay ou trans você é minoria”, disse Cook. “Ser gay não é uma limitação. É uma característica.” 

Cook disse que espera ser um exemplo para os pais que podem estar enfrentando dificuldades em aceitar a sexualidade ou a identidade de gênero dos filhos.

“Alguns pais – e eu sei porque estive em contato com alguns deles ―, alguns pais têm dificuldade”, disse ele. “Minha mensagem para eles é: ‘não precisa ser assim’.”

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.