NOTÍCIAS
24/05/2019 08:12 -03

Theresa May anuncia renúncia após fracassar em romper impasse sobre Brexit

Segunda primeira-ministra mulher do Reino Unido, May deixará o posto no dia 7; Ela não conteve a emoção ao descrever sua “gratidão duradoura" por servir o país.

Toby Melville / Reuters
Emocionada, Theresa May descreveu sua “gratidão duradoura por ter tido a oportunidade de servir o país que amo”.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou nesta sexta-feira (24) que vai deixar o cargo em 7 de junho, sucumbindo aos pedidos de dentro de seu Partido Conservador para abrir caminho a um novo líder que possa romper o impasse sobre a saída do Reino Unido da União Europeia.

“Está claro para mim que é do interesse do país um novo primeiro-ministro para liderar esse esforço. Então estou anunciando hoje que irei renunciar como líder do Partido Conservador e Unionista na sexta-feira, 7 de junho”, disse May em pronunciamento.

May mal conseguiu terminar seu discurso de sete minutos. Com a voz embargada, lutou contra as lágrimas ao descrever sua “gratidão duradoura por ter tido a oportunidade de servir o país que amo”.

Tentando moldar um legado que provavelmente será definido por sua negociação fracassada com a União Europeia, ela listou alguns feitos durante seu período no poder, incluindo seus esforços para resolver as relações raciais e as disparidades salariais entre homens e mulheres no Reino Unido.

“Em breve vou deixar o trabalho que tem sido a honra da minha vida”, afirmou uma raramente emocionada May, do lado de fora da residência oficial em Downing Street. “[Fui] A segunda mulher primeira-ministra, mas certamente não a última.”

Simon Dawson / Reuters
Após pronunciamento, May entra na residência oficial de Downing Street, que deverá deixar em junho.

O líder opositor, do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, disse que May acertou ao renunciar ao cargo de primeira-ministra, mas que quem a substituir como líder do Partido Conservador deve convocar uma eleição.

“Ela agora aceitou o que o país sabia havia meses: que ela não consegue governar, e nem o seu partido dividido e desintegrador consegue”, disse Corbyn em um comunicado.

“O Partido Conservador fracassou completamente no país em relação ao Brexit e é incapaz de melhorar a vida das pessoas ou lidar com suas necessidades mais prementes. O Parlamento está em impasse e os conservadores não oferecem soluções para os outros grandes desafios que o nosso país enfrenta”, continuou.

“Quem se tornar o novo líder conservador deve deixar o povo decidir o futuro do nosso país, através de uma eleição geral imediata.”

A partida de May vai aprofundar a crise do Brexit, já que um novo líder provavelmente vai querer uma divisão mais decisiva, aumentando as chances de um confronto com a UE e uma eleição parlamentar repentina e potencialmente imprevisível.

May, que assumiu o cargo em meio à turbulência pós-referendo do Brexit de 2016, deixará o posto sem cumprir seu compromisso central - de tirar o Reino Unido do bloco e curar suas divisões.

″É e sempre será uma questão de profundo pesar para mim que eu não tenha sido capaz de entregar o Brexit”, disse a primeira-ministra, acrescentando que seu sucessor teria que encontrar um consenso para honrar o resultado do referendo de 2016.