ENTRETENIMENTO
14/10/2020 10:24 -03 | Atualizado 14/10/2020 10:24 -03

'The West Wing' troca política da ficção pela real em especial da HBO

Em episódio único, Martin Sheen se reencontra com os funcionários fictícios para um especial de incentivo ao voto, que não é obrigatório no país.

NBC via Getty Images

Quatorze anos depois de o drama político televisivo “The West Wing: Nos Bastidores do Poder” desmontar seu cenário da Casa Branca, a série está de volta com sua versão fictícia de um presidente dos Estados Unidos e a missão de levar os norte-americanos às urnas no dia 3 de novembro para escolher um de verdade.

Martin Sheen ―que interpretou o presidente de tendência progressista Jed Bartlet no seriado― se reencontra com os funcionários fictícios vividos por Bradley Whitford, Allison Janney, Rob Lowe, Dule Hill, Janel Maloney e Richard Schiff para um especial de incentivo ao voto, que não é obrigatório no país.

STR New / Reuters

O episódio “A West Wing Special to Benefit When We All Vote”, que será transmitido pela HBO Max na quinta-feira, é uma versão teatral de um episódio de 2002 chamado “Hartsfield’s Landing”, no qual o cerebral Bartlet joga xadrez com seus assessores enquanto aguarda os resultados de uma eleição primária estadual e lida com uma crise em ebulição a respeito de Taiwan.

Aaron Sorkin, criador de “The West Wing”, disse que o episódio foi escolhido “porque terminou com uma sensação que queríamos que o público tivesse, uma sensação a respeito da votação”.

Embora Sorkin não tenha atualizado o roteiro, figuras como o ex-presidente Bill Clinton, a ex-primeira-dama Michelle Obama e o criador do musical “Hamilton”, Lin-Manuel Miranda, aparecerão durante os intervalos comerciais “dando informações sobre a votação e derrubando algumas falsidades a respeito da votação”, disse Sorkin.

Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost