OPINIÃO
03/07/2020 12:00 -03 | Atualizado 03/07/2020 17:36 -03

Só Charlize Theron distribuindo porrada para fazer 'The Old Guard' valer a pena

Atriz continua detonando no ambiente "machão" dos filmes de ação, mas nova produção da Netflix é, no máximo, medíocre.

The Old Guard, nova produção original da Netflix que estreia no dia 10 de julho, guarda muitas semelhanças com um título que outrora foi outra grande aposta da plataforma: Resgate, filme de ação estrelado por Chris Hemsworth que estreou em abril, teve algum impacto na época e, poucas semanas depois, caiu no esquecimento.

Assim como seu antecessor, The Old Guard, traz uma história baseada em uma série em quadrinhos com muita ação protagonizada por uma grande estrela de Hollywood. E, assim como Resgate, vai causar certo burburinho nas próximas semanas e sumir do radar em, no máximo, um mês. Por quê? Porque The Old Guard comete muitos dos erros cometidos em Resgate. E, pior ainda, em maior profusão.

A trama conta a história de um grupo de soldados imortais liderados por Andrômica (Charlize Theron), ou Andy, para os íntimos, que usa suas habilidades militares e, claro, sua invulnerabilidade, para fazer do mundo um lugar melhor há séculos.

Contratados por um ex-agente da CIA para resgatar um grupo de crianças sequestradas por terroristas no Sudão do Sul, eles são enganados por uma grande empresa farmacêutica, que quer usá-los como cobaia para desenvolver um remédio para curar todos os males.

Os problemas já começam no roteiro (escrito pelo próprio autor da HQ, Greg Rucka), que é bem fraco. Nós nunca sabemos exatamente quem é Andy e quais são suas motivações a não ser por rápidos momentos em que seus companheiros servem apenas como escada para contar sua história. Aliás, com relação ao grupo liderado por ela, sabemos menos ainda.

Divulgação
KiKi Layne e Charlize Theron como Nile e Andy em uma das muitas cenas de ação de "The Old Guard".

Como nutrir qualquer empatia com personagens unidimensionais indestrutíveis? A solução dada pelo roteirista é tão ridícula e preguiçosa que fica difícil achar alguma coisa boa em The Old Guard.

Mas ela existe e tem nome: Charlize Theron. Nenhuma atriz em Hollywood conseguiu construir uma carreira tão sólida dentro de um ambiente tão machão quanto o dos filmes de ação. E nesse quesito, ela arrasa. Mesmo que aqui não tenhamos sequências tão boas quanto as de Resgate.

Para o padrão normal das estreias originais da Netflix, The Old Guard até se destaca da grande maioria de seus pares – que, na verdade, são muito (mas muito mesmo!) ruins. Mas para acompanhar com uma pipoquinha em uma sexta à noite enfurnado em casa durante a quarentena... Tá valendo. Só Charlize Theron distribuindo porrada para todos os lados já é uma atração a parte.