NOTÍCIAS
04/08/2020 14:53 -03 | Atualizado 04/08/2020 15:25 -03

O dia em que o prefeito de Itajaí sugeriu tratar covid-19 com aplicação de ozônio via retal

"É uma aplicação tranquilíssima, de dois minutos com cateter fino, e isso dá uma resultado excelente."

Surge em Santa Catarina uma nova opção de tratamento contra a covid-19: a aplicação de ozônio via retal. Sem comprovação científica de eficácia contra o novo coronavírus, o método foi sugerido pelo prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni (MDB), que também é médico pediatra e homeopata.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira (3) durante uma live no Facebook. “É uma aplicação simples, rápida, de dois ou três minutinhos por dia, provavelmente vai ser via retal. É uma aplicação tranquilíssima, de dois minutos com cateter fino, e isso dá uma resultado excelente”, disse Morastoni.

A ideia é que o tratamento seja aplicado em pacientes que testaram positivo para covid. “A pessoa tem que fazer durante 10 dias seguidos, são 10 sessões de ozônio, e isso ajuda muitíssimo, provavelmente, os casos de coronavírus positivo”, completou o prefeito.

Veja a declaração de Morastoni em um trecho da live no player abaixo:

De acordo com Morastoni, Itajaí se inscreveu na Conep (Comissão Nacional de Ética em Pesquisa), ligada ao Ministério da Saúde, para fazer parte de um protocolo de pesquisa com ozônio. Na live, o prefeito sinalizou que o tratamento será opcional e citou também o uso de cânfora contra a doença.

A ozonioterapia é uma técnica antiga que consiste na administração de uma mistura de ozônio e oxigênio para aumentar o fluxo sanguíneo. É um método considerado experimental pelo Conselho Federal de Medicina e, de acordo com a instituição, não tem seu uso médico permitido no Brasil.

O uso de ozônio não é o primeiro tratamento contra a covid-19 sem respaldo científico em Itajaí. Desde o início de julho, a cidade distribui a ivermectina, medicamento usado no tratamento de vermes e parasitas. O município contabiliza mais 3.800 casos de covid-19, além de 101 mortes.