ENTRETENIMENTO
01/05/2019 14:22 -03

Conquistar aliados para derrubar Gilead é a nova missão de June em 'O Conto da Aia'

Anote na agenda: terceira temporada estreia em 5 de junho.

Reprodução/Hulu
Elisabeth Moss em cena do trailer da terceira temporada de 'O Conto da Aia'.

“Heresia. É isso o que você ganha por não fazer parte da resistência”, diz June, personagem da atriz Elisabeth Moss, em novo trailer da série O Conto da Aia, que terá sua tão esperada terceira temporada lançada em 5 de junho. 

“Porque, oficialmente, não há resistência. Se eu vou mudar as coisas, precisarei de aliados”, ela completa, enquanto cenas de Nick e Serena aparecem no vídeo, dando a entender que ela conseguirá juntá-los contra o regime. 

Assista ao vídeo:

 

De acordo com o site Deadline, no dia da estreia serão lançados três episódios; os outros serão disponibilizados às quartas-feiras das semanas posteriores. O Hulu não divulgou informações sobre a quantidade de episódios inéditos.

Um teaser de 30 segundos foi divulgado em fevereiro. Nele, as Esposas aparecem felizes segurando seus bebês ao mesmo tempo em que outras mulheres, sem identidade, estão trabalhando nas Colônias de Gilead.

A prévia apresenta, em áudio, o discurso feito em 1984 pelo ex-presidente dos Estados Unidos Ronald Reagan - que governou de 1981 a 1989.

O Conto da Aia foi publicado em 1985, momento em que o governo Reagan estava no auge ― e tinha cunho paternalista, que visava reforçar valores tradicionais.

″É novamente manhã na América. Hoje, mais mulheres irão trabalhar”, diz. “Nesse ano, dúzias de crianças nascerão de famílias saudáveis e felizes.”

Ao final do vídeo, a voz do locutor fica confusa e distorcida, chamas aparecem e, em seguida, a imagem de June - personagem principal da série.

“Acorde, América”, ela diz em voz alta enquanto um grupo de Aias se reúne em um campo aberto. “A manhã acabou”, finaliza. 

A série retrata o universo criado em 1985 por Atwood. Nele, a democracia dá lugar a um governo teocrático em que mulheres se tornam propriedade e são forçadas a servirem o Estado e criar uma novo modelo de sociedade.