Alta na terapia? Entenda quando dar uma pausa nas sessões

Confira algumas dicas práticas se você acha que é melhor dar um tempo na terapia.

Muitas vezes, encontrar o terapeuta ideal é como começar a namorar: é difícil e trabalhoso, mas quando dá certo, é uma maravilha.

E, assim como nos namoros, definir quando e como terminar a relação, e se essa é mesmo a melhor decisão, pode provocar muito estresse.

Mas temos uma boa notícia: os terapeutas são treinados para querer que a terapia termine.

“Acho que as pessoas ficam nervosas porque pensam que os terapeutas vão ficar magoados se elas pararem a terapia”, explica Lori Gottlieb, psicoterapeuta e autora do livro “Maybe You Should Talk To Someone”, ao HuffPost. “Nosso modelo de negócios é o pior possível, porque nosso objetivo desde o início é que o paciente seja independente e consiga viver bem sem nós.”

“Nosso modelo de negócios é o pior possível, porque nosso objetivo desde o início é que o paciente seja independente e consiga viver bem sem nós.””

De acordo com Meg Josephson, psicoterapeuta e criadora da conta City Therapist no Instagram, há muitas formas diferentes de saber quando estamos prontos para parar com a terapia, mas existem sinais concretos, alguns deles fora do consultório.

“Acho que é quando a pessoa começa a internalizar a nossa voz ou quando ela consegue acessar rapidamente as ferramentas que oferecemos. Por exemplo, quando ela vem para a consulta e conta que começou uma discussão sobre X, Y e Z, mas conseguiu se acalmar e ficar tranquila por conta própria”, explica ela. “Tudo o que o paciente pratica e aprende na terapia só tem valor se puder ser aplicado fora do consultório.”

Se você não sabe o que dizer durante a sessão, isso também pode indicar que já é hora de parar. No entanto, Meg avisa que, às vezes, é melhor não se apressar.

“Ter uma semana boa não é motivo para cancelar as sessões de terapia”, explica ela. “Porque a terapia não resolve tudo de um dia para o outro. Mas quando a falta do que falar com o terapeuta é constante, pode ser hora de pensar em fazer uma pausa.”

Fazer uma pausa ou parar a terapia pode ser assustador, especialmente para quem está com um terapeuta há muito tempo, mas também pode ser uma oportunidade de refletir sobre esse trabalho e ver os resultados dele no dia a dia.

“Parar ou fazer uma pausa tem muitos benefícios”, conta Mark Aoyogi, diretor de psicologia esportiva e de desempenho na Universidade de Denver. “Por exemplo, voltar a ser independente, praticar as habilidades desenvolvidas e encarar a vida com mais autoconsciência. Também é uma ótima oportunidade de fazer uma reflexão interna sobre as lições aprendidas, como colocá-las em prática e o que funciona melhor.”

“Se você tem medo de falar em parar com o seu terapeuta, isso pode indicar que esse profissional não é o melhor para você.”

Como tudo na vida, existem maneiras certas e erradas de abordar esse tema. A dica mais valiosa é não sumir e simplesmente deixar de falar com uma pessoa que dedicou tempo, cuidado e esforços para ajudar você. Como Lori explica, “é toda uma conversa”.

“Não queremos manter as pessoas em um lugar onde elas não querem estar”, conta ela. “Também perguntamos ao paciente em que ponto ele considera que está, como avançou e como está se sentindo. Ele pode ir embora quando quiser e, se for necessário, sempre pode voltar. As portas estão abertas. Acho que as pessoas precisam se sentir à vontade para conversar com o terapeuta sobre os objetivos que têm e quanto tempo esperam que dure a terapia.”

Segundo Mark, os melhores terapeutas entendem e apoiam os desejos do paciente.

“Se você tem medo de falar em parar com o seu terapeuta, isso pode indicar que esse profissional não é o melhor para você”, explica ele. “Não sei se a terapia vai funcionar se você sentir essa pressão para continuar nela.”

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.