ENTRETENIMENTO
07/09/2020 11:20 -03

Filme que pode 'salvar o cinema', 'Tenet' arrecada mais de US$ 20 milhões nos EUA

Warner Bros. diz estar “muito satisfeita” com resultados do primeiro fim de semana do thriller de ficção científica de Christopher Nolan.

Após seguidos cancelamentos de sua estreia nas salas de cinema, o épico de ficção científica Tenet, de Christopher Nolan, finalmente chegou aos cinemas dos Estados Unidos e gerou uma bilheteria de US$ 20,2 milhões (cerca de R$ 107,06 milhões) no último fim de semana, quando, nos EUA, acontece o feriado do Dia do Trabalho.

As vendas de ingressos, embora difíceis de se analisadas devido as dificuldades levantadas pelo coronavírus, estão bem próximas das expectativas de um novo lançamento durante o período da pandemia.

O thriller de espionagem já está se aproximando da marca de US$ 150 milhões (cerca de R$ 795 milhões) globalmente. Fora dos território americano (principalmente na Ásia e Europa), Tenet arrecadou outros US$ 78,3 milhões  (cerca de R$ 413 milhões).

A Warner Bros., em uma nota para a imprensa na tarde do último domingo (6), disse que o estúdio estava “muito satisfeito” com os resultados iniciais, enfatizando que o lançamento de Tenet será “uma maratona, uma corrida de 100 metros rasos”.

“Não há literalmente nenhum contexto para comparar os resultados da estreia de um filme durante uma pandemia com qualquer outra circunstância”, disse o estúdio. “Estamos em um território sem precedentes, então qualquer comparação com o mundo pré-covid seria injusta e sem base.”

A estreia doméstica do último filme de Nolan inclui a venda de ingressos de pré-estréia que começaram a ser comercializados na segunda da semana passada nos EUA e Canadá. O filme acabou sendo exibido em cerca de 2.800 salas de cinema nesse território. Um número nem tão grande assim em comparação ao que poderia ser sem a covid.

Atualmente, cerca de 65-70% dos complexos de sala de cinema nos EUA foram reabertos, embora mercados influentes como Nova York, Los Angeles, Seattle e San Francisco ainda estejam fora dessa lista. Isso provavelmente tirou milhões de dólares do faturamento do filme.

Tenet é o primeiro grande sucesso de bilheteria a estrear nos EUA depois que a pandemia forçou os cinemas a fechar em março. Foi originalmente programado para ser lançado em julho, mas foi adiado várias vezes, pois os casos do vírus continuaram a aumentar. Enquanto outros títulos esperados, como Velozes & Furiosos 9, Viúva Negra, avançaram para o final de 2020 ou até para 2021, Nolan e o estúdio insistiram.

O chefe de distribuição doméstica da Warner Bros., Jeff Goldstein, disse que o estúdio optou por seguir em frente com o lançamento de Tenet devido ao seu apelo para o público estrangeiro.

“Como estratégia, olhamos para este filme e dissemos que [as vendas de ingressos serão] dois terços internacionais e um terço domésticas”, disse ele. “É evidente que o resto do mundo estava em uma posição melhor em termos de descobrir como seguir em frente.”

Hollywood tem olhado para Tenet como um indicador da viabilidade do negócio do cinema durante uma crise de saúde global. Muitos exibidores reabriram seus cinemas a tempo de exibi-lo, pois contam com a demanda reprimida para ver um filme na tela grande pela primeira vez em meses.

Quem comprou ingressos que se aventuraram a ver Tenet nos cinemas optou por vê-lo com a melhor qualidade possível. As telas Imax representaram US$ 11,1 milhões (cerca de R$ 58,23 milhões) das vendas globais neste fim de semana.

A China, onde Tenet estreou na sexta, arrecadou mais de US$ 8 milhões (cerca de R$ 42,40 milhões) em vendas de ingressos no dia da estreia e US$ 30 milhões (cerca de R$ 159 milhões) no fim de semana. 

“Embora a trajetória de bilheteria na América do Norte pareça bem diferente para Tenet e no mercado internacional, o filme pode realmente ver seu faturamento aumentar nas próximas semanas, à medida que mais e mais cidades abrem as portas de seus complexos multiplex”, disse Paul Dergarabedian, um analista de mídia sênior da Comscore.

A esperança, tanto entre os estúdios quanto os proprietários de cinemas, é que extensas medidas de segurança façam o público se sentir mais confortável em retornar aos espaços internos nas próximas semanas.

O filme estrelado por John David Washington e Robert Pattinson custou US$ 200 milhões (mais de R$ 1 bilhão) para ser feito - e muitos milhões mais para ser promovido globalmente. Isso significa que o thriller precisa atrair vendas robustas de ingressos para ter lucro. Mas sem muita concorrência de outros filmes de Hollywood, a Warner Bros. está otimista.

Quando se trata de competição, o maior rival de Tenet pode estar vindo da telinha. Mulan, o ramake em live-action da Disney para seu desenho animado de 1998 estreou diretamente no Disney+, plataforma de streaming do estúdio. O filme está disponível para aluguel no serviço por US$ 30 (cerca de R$ 159).

Em áreas onde o Disney+ não está disponível, Mulan estreou na tela grande. O épico de fantasia - dirigido por Niki Caro e estrelado por Liu Yifei - arrecadou US$ 5,9 milhões (cerca de R$ 31,27 milhões) em nove mercados internacionais, incluindo Malásia, Cingapura e Tailândia, e tem estreia marcada na  China e na Rússia para o próximo fim de semana.

Não está claro se os números de Tenet justificarão o avanço com outros sucessos de bilheteria até que o coronavírus fique sob controle nos EUA ou que uma vacina seja desenvolvida. Por enquanto, Mulher Maravilha 1984, também da Warner Bros., é o próximo filme que se prepara para chegar às telonas. A aventura da super-heroína da DC chega aos cinemas americanos em 2 de outubro.

No Brasil, a estreia de Tenet foi adiada para 15 de outubro.