As grandes tendências de comida e bebida em 2020

O ano estará cheio de gorduras.

Antes de ir ao supermercado, você provavelmente redige uma lista do que vai comprar. Como estamos quase entrando em um novo ano, achamos que seria divertido descobrir que comidas e bebidas vão constar na sua lista de compras em 2020.

Em vez de consultar a bola de cristal, conversamos com dois especialistas em tendências gastronômicas: Melissa Abbot, vice-presidente de insights culinários do The Hartman Group, e Kelly Landrieu, coordenadora global de marcas locais da Whole Foods Market. Veja algumas das coisas que você provavelmente vai comer e beber em 2020.

Bebidas sem álcool

O movimento “sober curious” (pessoas que reduzem seu consumo de álcool) ajudou a alimentar a ascensão de bebidas não alcoólicas deliciosas. Mas mesmo que você não tenha planos de abrir mão do álcool, uma bebida não alcoólica é uma ótima opção se você procurar um sabor ousado na próxima vez que tomar uma bebida em lata.

O chá HopTea, da Hoplark, é “uma marca cool produzida nas Montanhas Rochosas e que está em todas nossas lojas”, disse Landrieu ao HuffPost. “Essa bebida é produzida como se fosse uma cerveja artesanal, mas é um misto de chás. Sua característica mais marcante é o fato de incluir lúpulo (hop). A marca produz bebidas não cafeinadas e fortemente cafeinadas, como a The Really Hoppy One, que inclui chá preto, água com gás e dois tipos de lúpulo. Outra boa opção são as cervejas não alcoólicas da Athletic Brewing Co, especialmente a Run Wild IPA. “Ela tem a cerveja que você busca quando não quer tomar uma cerveja completa”, disse Landrieu. “Já ouvi falar até em atletas que a tomam para se hidratar depois do exercício físico.”

Qualquer coisa com adaptógenos

Numa era moderna marcada pela ansiedade, os consumidores costumam apostar em produtos com ingredientes que têm o potencial de lhes fazer sentir-se melhor. Abbott explicou: “Os consumidores dizem ‘quero comer alimentos e tomar bebidas durante o dia que me ajudem a ter uma boa noite de sono, para que eu possa estar bem no dia seguinte’. Os adaptógenos te ajudam a adaptar-se ao estresse, para que você não precise passar o dia todo se estimulando com cafeína, doces, açúcares, bolachas processadas e barrinhas energéticas.”

“Adaptógenos” é um termo que engloba plantas que podem ajudar você a alcançar essa meta. “Muitos dos ingredientes vêm da medicina ayurvédica ou da medicina tradicional chinesa”, destacou Abbott. Preveja encontrar mais ashwagandha (que já é encontrado amplamente como suplemento alimentar) e cogumelos como o reishi e o chaga aparecendo em alimentos e bebidas.

Lanches frescos

Se sua ideia de um lanche para viagem é um saquinho de batatas chips gordurosas, saiba que há opções mais saudáveis chegando ao supermercado mais próximo. “Os consumidores querem lanches rápidos mais saudáveis e funcionais”, disse Landrieu. “As empresas estão criando opções novas com carnes, queijos e crackers. Essas opções são encontradas na seção de alimentos frescos e refrigerados.”

Ela apontou como exemplos os ovos cozidos Peckish com dips criativos e as sopas Nona Lim, que vêm em porções individuais para viagem. Abbott destacou que opções à base de plantas também estão aparecendo nessa categoria, citando as cenouras fermentadas da Barrell Creek Provisions.

Produtos com gordura extra

Foi-se a época em que as dietas de baixa gordura estavam em voga. Hoje, com as dietas cetogênica e paleo sendo adotadas por muitas pessoas, a gordura voltou a ser bem vista. E, como as gorduras ditas “boas” estão presentes em abundância em ingredientes como manteiga e ovos, os sabores são deliciosos. “As pessoas estão procurando alimentos que saciem mais e que deem uma sensação mais ‘luxuosa’”, comentou Abbott. “Mas os produtos também precisam ter pouco ou nenhum açúcar, para queimarmos um combustível mais limpo. É importante que os produtos contenham menos açúcares e mais ingredientes que saciam, como gorduras e fibras.” Portanto, preveja encontrar produtos como manteigas de castanhas com gordura adicionada e “chips” cetogênicos de queijo. Mesmo os produtos sem laticínios estão aderindo à onda das gorduras; a Forager, que produz iogurte de castanha de caju, acrescenta creme de coco a seu produto vegetal.

Bebidas funcionais

Em um passado não tão distante, as bebidas geladas na seção de refrigerados do supermercado eram café, água, refrigerantes e bebidas esportivas. Mas hoje em dia as pessoas esperam encontrar muito mais do que apenas cafeína e açúcar em suas bebidas.

Abbott disse que marcas como a Rebbl, Vital Proteins e Wise Ape Tea estão pegando ingredientes comumente consumidos na forma de suplementos e os introduzindo no segmento das bebidas prontas para tomar. “Não são apenas adaptógenos”, disse Abbott. “Vamos encontrar bebidas que contêm nootrópicos com aminoácidos, que auxiliam a cognição, função cognitiva, produtividade e memória.”

Abbott também destacou que ingredientes como colágeno e raiz de dente-de-leão andam aparecendo em bebidas e também em alguns alimentos. “Bebidas que beneficiam a digestão têm efeitos secundários que beneficiam a pele”, ela disse. “Sua aparência fica saudável, ao mesmo tempo que você está saudável por dentro.”

Farinhas alternativas

Bases de pizza feitas de couveflor foram apenas o começo. Hoje outras sementes e vegetais podem ser convertidos em pães, muffins e semelhantes. “Muitas tendências apontam para a funcionalidade e o uso de ingredientes que fazem bem à saúde”, disse Landrieu. “O espaço das farinhas alternativas é um ótimo exemplo disso.”

A marca Bob’s Red Mill, por exemplo, presente há anos nas lojas de produtos naturais, tem farinhas de avelã, amêndoa e coco. Landrieu destacou a marca Superseed Life, de Austin, Texas, por sua linha de produtos ímpares. “Ela produz farinhas à base de sementes (de papoula, girassol, linhaças e outras) e faz doughnuts com essas farinhas”, disse a especialista.

As farinhas alternativas são uma ótima opção, não apenas para quem quer consumir menos grãos, mas também para pessoas com restrições alimentares. “As farinhas alternativas apareceram inicialmente para suprir as necessidades de pessoas que queriam substituir a farinha de trigo, que não podiam comer”, afirmou. “Mas estão ganhando aceitação crescente entre consumidores de todas as partes do espectro que apreciam algo mais denso em nutrientes e que lhes dê prazer.”

Comidas e bebidas ambientalmente sadias

Muitas das tendências para 2020 nascem da preocupação com nossa saúde e bem-estar. Mas há também uma preocupação crescente com o mundo.

“Os consumidores têm expectativas em torno de como seus alimentos são cultivados, de onde eles vêm e o que fazem para beneficiar nosso mundo”, disse Landrieu. As marcas que apostam em práticas agrícolas regenerativas vão passar a usar rótulos mais específicos, que trazem mais informações sobre os produtos.

Landrieu destacou que marcas como a Straus Family Creamery pretendem ficar de carbono neutro nos próximos anos. E destacou o trabalho ecológico dos vinhos Bonterra. “Elas estão levando as práticas agrícolas regenerativas para o mundo do vinho, plantando culturas de cobertura, incentivando as melhores práticas naturais de combate a pragas e incluindo casinhas para corujas e outras aves instalarem seus ninhos”, ela comentou. “Já receberam alguns prêmios por esse trabalho. E, de quebra, produzem alguns vinhos muito bons.”