NOTÍCIAS
28/04/2020 20:31 -03

Após Brasil ultrapassar China em mortes por covid-19, ministro da Saúde admite agravamento da pandemia

Brasil já é o 9º país com mais mortes no mundo. Cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Fortaleza e Manaus são as mais críticas.

No dia em que o Brasil chegou a um novo recorde diário de mortes confirmadas de covid-19, o ministro da Saúde, Nelson Teich, reconheceu que há um agravamento da pandemia no País. O número de óbitos chegou a 5.017, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira (28). Com esse novo marco, o País superou o total de óbitos registrado na China (4.637), primeiro epicentro do novo coronavírus.

“Como a gente tem uma manutenção desses números elevados e crescentes, a gente tem que abordar isso como um problema, como uma curva que vem crescendo, como um agravamento da situação”, afirmou Teich em coletiva de imprensa na noite desta terça. Ele disse, contudo, que esse crescimento está restrito a cidades como Manaus, Recife, São Paulo e Rio de Janeiro.

Sobre esses locais, o ministro afirmou que a pasta irá “continuar acompanhando e vendo a evolução”.

De acordo com o ministério, os casos confirmados na população brasileira somam 71.886, e a taxa de letalidade é de 7%. 

Em 24 horas, de segunda-feira (27) para esta terça, foram 474 novos óbitos confirmados, um aumento de 10,4%. No mesmo período, foram registrados 5.385 novos casos, um crescimento de 8,1%.

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, informou que 146 das mortes confirmadas nas últimas 24 horas ocorrem nos últimos 3 dias e que “boa parte dos óbitos” já estava em investigação. Segundo ele, essas investigações laboratoriais foram “concluídas e atualizadas”. Ele acrescentou Fortaleza (CE) no rol de cidades com situação mais crítica, além das citadas por Teich.

Quanto à resposta às demandas dos hospitais nos estados e municípios, o secretário-executivo da pasta, Eduardo Pazuello, afirmou que “bastante coisa” foi adquirida. De acordo com ele, a partir desta quarta-feira (29), 185 respiradores serão entregues aos locais mais afetados. Ele prometeu também a entrega de kits de EPIs (equipamento de proteção individual) e novos contratos de profissionais da saúde, mas não informou números.

Nesta terça, o ministro se reuniu com governadores da região Norte. Na quarta, será a vez de encontros com chefes do Executivo do Sul e do Nordeste. Na sequência, serão contemplados governos do Sudeste e Centro-Oeste. “A gente sabe o quão difícil está sendo conseguir recursos como respiradores e EPIs no mundo”, disse. 

Andressa Anholete via Getty Images
Com  474 mortes confirmadas nas últimas 24 horas, Brasil bate novo recorde e ultrapassa China em número de vítimas da covid-19.

O pronunciamento de Teich foi anunciado após o Palácio do Planalto cancelar coletiva de imprensa com ministros na tarde desta terça em que a presença do titular da Saúde não havia sido confirmada. Desde que Luiz Henrique Mandetta deixou a pasta, acabaram as coletivas diárias sobre covid-19 com a equipe técnica. A primeira desse tipo foi na última segunda-feira (27).

A nova equipe da Saúde ainda não esclareceu como será o novo modelo de testagem nem que critérios serão adotados para orientar a flexibilização do isolamento social. A medida é usada para frear o ritmo de circulação do vírus e evitar um colapso do sistema de saúde. 

Subnotificação da pandemia

A expectativa é que o número atual de óbitos seja maior devido à demora no resultado dos exames. Como o HuffPost vem noticiando, a lentidão no resultado de testes laboratoriais, que detectam tanto a causa da morte quanto se a pessoa foi contaminada, leva a um atraso nos dados oficiais.

Essa demora também se reflete no número de casos no País. Há uma subnotificação de casos confirmados ainda maior devido à limitação de testes de diagnóstico. O exame tem sido direcionado apenas aos casos graves. Desde o início da pandemia no País, a orientação tem sido para que apenas pacientes com sintomas severos procurem o sistema de saúde.

Segundo o mapeamento do Centro de Recursos de Coronavírus da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos, foram confirmados 3 milhões de casos da covid-19 no mundo inteiro e mais de 216 mil mortes, de acordo com dados atualizados nesta terça. O Brasil está em 11º lugar no mundo no número de casos e no 9º lugar no número de óbitos.