ENTRETENIMENTO
14/06/2019 17:18 -03 | Atualizado 14/06/2019 17:32 -03

Por que Stephen King odeia 'O Iluminado' de Stanley Kubrick?

Lançamento de adaptação cinematográfica de "Doutor Sono", continuação de "O Iluminado", reaviva uma das maiores mágoas do Mestre do Terror.

Divulgação/montagem
King x "O Iluminado": Autor acha filme frio, não gostou de ver seu roteiro ser ignorado por Kubrick e detestou final sombrio.

O lançamento do trailer de Doutor Sono, continuação do hoje clássico O Iluminado reavivou um caso que é de conhecimento público, mas que muita gente pode ainda não saber. Stephen King, o autor do livro em que o filme de 1980 se baseia, odeia a versão cinematográfica dirigida por Stanley Kubrick (1928-1990), um dos cineastas mais celebrados de todos os tempos.

Essa questão voltou à tona porque o trailer de Doutor Sono mostra cenas do filme de Kubrick. O diretor Mike Flanagan (A Maldição da Residência Hill) confirmou à Entertainment Weekly que, além de uma adaptação do romance de King, seu filme também faz parte do universo cinematográfico de O Iluminado. 

“É muito excitante para mim falar sobre King, Kubrick e O Iluminado. A história que estamos contando é basicamente a que King escreveu. Danny é permanentemente influenciado e alterado pelos eventos mostrados no filme O Iluminado. O filme é maravilhoso, mas esta é a nossa história, e é a história de Danny. Essa é a coisa mais importante”, afirmou.

Na mesma sintonia está o produtor Trevor Macy, que falou sobre o longa ao The Telegraph. “É uma adaptação do romance Doutor Sono, que é a continuação de Stephen King para seu livro O Iluminado. Mas nosso filme também existe no mesmo universo cinematográfico que Kubrick estabeleceu em sua adaptação.”

Com a palavra, Stephen King

Em 2006, em uma grande entrevista à The Paris Review, o Mestre do Terror deixou muito claro por que não gostou da adaptação de Kubrick. 

“O filme é muito frio. Nenhuma sensação de investimento emocional na família. Eu senti que o tratamento de Shelley Duvall como Wendy é um insulto às mulheres. Ela é basicamente uma máquina de gritar. Não há senso de envolvimento dela na dinâmica familiar”, disse o escritor.

“E Kubrick não parecia ter a menor ideia de que Jack Nicholson estava interpretando o mesmo psicopata da motocicleta de todos os filmes de motoqueiro que ele fazia [Hells Angels on Wheels, The Wild Ride, The Rebel Rousers e Sem Destino]. O cara é louco. Então, onde está a tragédia se o cara aparece para a sua entrevista de emprego e ele já é maluco? Eu odiei o que Kubrick fez com isso”, completou.

Questionado se teve algum envolvimento na produção do filme de 1980, King respondeu: “Meu roteiro de O Iluminado se tornou a base para a minissérie de televisão mais tarde [estrelada por Steven Weber e Rebecca De Mornay foi lançada em 1997]. Mas duvido que Kubrick tenha lido antes de fazer seu filme.”

“Ele sabia o que queria fazer com a história e contratou Diane Johnson para escrever um rascunho do roteiro baseado no que ele queria enfatizar. Então ele próprio refez. Eu fiquei muito desapontado”, afirmou. 

Para concluir, King contou que uma de suas principais queixas se deve ao final sombrio que Kubrick optou para seu filme. ”É certamente lindo de se ver. Eu costumava chamá-lo de Cadillac sem motor. Você não pode fazer nada a não ser admirá-lo como escultura. Você tirou seu objetivo principal, que é contar uma história”, criticou. 

“A diferença básica que diz tudo que você precisa saber é o final. Perto do final do romance, Jack Torrance diz a seu filho que ele o ama, e então ele explode com o hotel. É um clímax muito apaixonado. No filme de Kubrick, ele congela até a morte”, finalizou. 

Doutor Sono estreia no Brasil no dia 7 de novembro. Se você ainda não viu o trailer, veja aqui: