Você anda tendo sonhos bizarros durante a pandemia de coronavírus?

Todos esses sonhos estranhos que você têm são uma reação normal ao distanciamento social – e fazem sentido.

Não, você não está imaginando isso: é verdade que seus sonhos estão mais intensos e vibrantes desde que a pandemia de coronavírus começou.

E não é só você. As buscas no Google com a pergunta “por que ando tendo sonhos estranhos ultimamente?” quadruplicaram nos Estados Unidos. E estamos todos fazendo força para entender por que a pandemia e o isolamento penetraram em nosso subconsciente.

A culpa disso cabe em parte ao sono intranquilo. Segundo sondagem recente conduzida com 1.014 americanos pelo site SleepStandards, que posta avaliações de colchões, 76,8% dos entrevistados admitiram que a pandemia afetou seu sono.

Sonhamos todas as noites. Mas, quanto melhor dormimos, menor é a probabilidade de nos recordarmos dos nossos sonhos ao acordar pela manhã. O estresse fragmenta o sono e aumenta nossa capacidade de recordar nossos sonhos.

Pesquisas revelam que a ansiedade aumentada durante o dia pode levar a mais conteúdos negativos em nossos sonhos, especialmente em tempos de crise global como os que estamos vivendo.

Depois do 11 de setembro de 2001, pesquisadores descobriram que o trauma coletivo vivido tornou os sonhos dos americanos mais intensos e memoráveis nos dias seguintes aos ataques. Se você sonhou com um desastre de avião naquela época, saiba que não é o único com quem isso aconteceu.

Hoje, todos os pensamentos que você talvez ande reprimindo sobre você mesmo ou seus entes queridos contraírem a covid-19 certamente vão aparecer em seus pesadelos.

“Sonhamos à noite com coisas que não nos permitimos pensar ou sentir durante o dia. E há muitas coisas impensáveis acontecendo neste momento”, comentou a psicóloga clínica Emily Anhalt, co-fundadora da “academia de fitness mental” Coa.

“Além disso, há a culpa que sentimos por nos queixarmos enquanto há pessoas morrendo, e o resultado é que não temos por onde extravasar nossas emoções”, ela prosseguiu. “Então onde vão parar esses pensamentos? Eles se manifestam em nossos sonhos, sob o disfarce de símbolos e metáforas.”

Fato interessante: os símbolos e metáforas que aparecem em nossos sonhos são bastante universais. Pedimos aos leitores do HuffPost Estados Unidos que compartilhassem alguns de seus sonhos recentes mais estranhos, muitos envolviam os mesmos temas.

Para entender melhor nossos sonhos ligados ao coronavírus, pedimos a especialistas em sonhos para decodificarem alguns dos temas mais comuns enviados por nossos leitores. Leia as análises deles abaixo.

As respostas foram editadas e resumidas para possibilitar maior clareza.

Sonhos sobre reuniões públicas

  1. “Ando sonhando toda noite com coisas ligadas ao coronavírus. Geralmente nos sonhos eu estou em lugares públicos aos quais a gente ia. Disneylândia, Las Vegas, cinemas. Meus três filhos pequenos ficam correndo no meio de multidões de pessoas, tocando em tudo, e eu corro atrás deles, chorando.”

  2. “Sonhei que meu marido fez uma festa surpresa para um amigo (e eu não fazia ideia de quem era esse amigo). Os convidados estavam começando a chegar e eu estava horrorizada, pensando quantos deles iam acabar morrendo de covid-19. Em outro sonho era o dia do nosso casamento (num lugar que eu não reconheci), e eu gritei: ‘Este casamento não pode acontecer, senão vai morrer muita gente!’.”

  3. “Sonhei que fui para a Disneylândia e chegando lá, percebi que eu tinha esquecido de vestir as calças. Fui correndo até uma loja na Downtown Disney para comprar uma roupa. Aí percebi que eu tinha esquecido de usar máscara. E então percebi que eu nem sequer deveria estar na Disneylândia. Acho que o sonho reflete meu medo de estar despraparada para a pandemia.”

A psicóloga Anjhula Mya Singh Bais explica: casamentos e aniversários são eventos importantes para as pessoas e que geralmente implicam na presença de grande número de pessoas. Quando alguém sonha com eles, isso sugere que a pessoa está preocupada com o efeito que a covid-19 terá sobre o coletivo de pessoas.

“A pessoa que tem o sonho não está pensando de modo individualista, como seria o caso se ela sonhasse com uma promoção no trabalho. São eventos que envolvem amor e comunidade, como festas de aniversário e casamento.””

Esses dois tipos de eventos também representam ideias sobre a vida e a morte.

“O aniversário comemora o dia em que você veio ao mundo, que iniciou uma contagem regressiva automática em direção ao dia em que você vai morrer. No caso do casamento, os votos envolvem ideias como ‘até que a morte nos separe’”, ela disse.

Quanto aos sonhos com a Disneylândia, “a Disney frequentemente representa a inocência, a diversão e recordações alegres, dos tempos em que as coisas iam bem”, disse Singh Bais. “Quando você sonha que está correndo na Disneylândia, isso sugere que você sente falta da liberdade que desfrutávamos e que considerávamos natural. Agora estamos em uma nova ordem mundial onde lugar algum nos transmite uma impressão de segurança.”

Quanto às calças ausentes no último sonho? “Esquecer de vestir as calças, em oposição a uma camisa ou um chapéu, simboliza uma verdade inequívoca: que você está se sentindo vulnerável”, disse a psicóloga.

Sonhos sobrevivencialistas, inspirados na cultura pop

  1. “Ando tendo sonhos de sobrivencialista. Nos sonhos, estou comprando o tipo de coisa que os personagens de The Walking Dead queriam ter. Há vários tornados vindos de todas as direções. Estou tentando proteger todo o mundo, para que todos fiquem em segurança, mas há gente demais, então vou ter que fazer algumas escolhas.”

  2. “Tive um sonho algumas noites atrás em que a vida era um misto de ‘1984’ e ‘Jogos Vorazes’. As dez famílias mais ricas no mundo soltaram o vírus como um torneio tipo ‘Jogos Vorazes’, para ver qual país seria o primeiro a encontrar uma cura. No meu sonho havia cobertura da mídia também, mas em vez de serem âncoras de jornal no ar, pareciam ser apresentadores de gameshows. A vida parecia um cenário de ‘1984’, era vivida sob vigilância. Foi realmente estranho.”

Singh Bais disse que os tornados muitas vezes simbolizam a destruição e a vida sendo virada do avesso.

“O mundo tal como o conhecemos acabou, como em ‘The Walking Dead’”, ela explicou. “A covid nos defronta com muitas incógnitas. Nossos sonhos nos apresentam cenários de sobrevivência, num esforço para conservar a esperança, a estabilidade e o preparo para o que possa estar pela frente.”

Para a analista de sonhos Jane Teresa Anderson, no caso do sonho tipo “Jogos Vorazes”, o fato de enxergar a pandemia como um jogo provavelmente ajudou a pessoa que teve o sonho a distanciar-se de suas emoções e olhar a situação sob uma ótica mais objetiva.

“Uma estratégia para sobreviver e até se fortalecer em uma crise é começar a pensar e agir de modo frio e objetivo”, ela explicou. “A pessoa que teve o sonho pode ter explorado uma ‘cura’ para a perda de emprego, uma cura dos problemas em seu relacionamento que são intensificados pelo auto-isolamento, ou, ainda, uma cura para vários tipos de dificuldades pessoais dela.”

Desejo de comer e beber coisas que estão faltando

  1. “No meu sonho, homens da tropa de choque (usando armaduras amarelas, em vez de brancas) estavam invadindo casas e confiscando os estoques de Pepsi Crystal das pessoas, porque era um ingrediente necessário para produzir a vacina contra a covid-19. Eles estavam batendo na porta da minha casa. Achei estranho porque quando eu tomava refrigerante, só tomava Coca-Cola, e de qualquer jeito não tomo desde 1980 e alguma coisa.”

  2. “Eu só sonho com gostosuras, comes e bebes. Todos meus lanchinhos desse tipo acabaram na primeira semana de isolamento.”

Sonhos com lanches ou quitutes que estão faltando estão ligados a sentimentos de privação, de falta, de ausência de recompensa, disse Carla Marie Manly, autora de “Joy from Fear: Create the Life of Your Dreams by Making Fear Your Friend”.

“Quando sonhamos que alguém levou embora nossas guloseimas, isso reflete o medo de sermos roubados ou privados do que desejamos e necessitamos na vida”, ela comentou. “O sonho com a tropa de choque também reflete um sentimento de raiva e irritação diante das restrições impostas pelo governo, que podem parecer invasivas e excessivas.”

Uma figura misteriosa

  1. “Já tive alguns sonhos sobre o coronavírus. Cada vez foi diferente. O sonho mais memorável aconteceu uma noite quando eu estava pondo meu filho de 2 anos para dormir e comecei a cochilar eu mesma. No sonho, eu estava em um auditório com cortinas vermelhas. Estava meio escuro. Algumas pessoas estavam no auditório. Não reparei muito em nenhuma delas, nem reconheci ninguém. O que notei, sim, foi, no fundo do auditório, longe de mim, um corpo humano esguio com uma cabeçona grande e preta de coelho, que estava observando tudo em silêncio. A figura usava uma roupa de listras verticais pretas e brancas. Aquilo me deixou super inquieta. No meu sonho, eu sabia o que era: era uma manifestação visual deste vírus que nos espreita em cada canto hoje em dia. O sonho foi curtinho, mas me deixou perturbada por dias. Foi logo no começo da quarentena imposta pelo governo. Eu simplesmente sentia a presença da figura, e parecia que ela estava calculando em silêncio quem ia atacar, sem que mais ninguém se desse conta de sua presença. Sempre me senti intimidada por obras de arte ou mostras com corpos humanos usando cabeças de mascote, mas esse sonho foi super fora do comum para mim. Ainda hoje, semanas mais tarde, fico perturbada quando me lembro.”

  2. “Sonhei que estava na sala de minha casa quando alguma coisa invadiu minha casa, atravessando a parede. Soltei um berro e comecei a fugir do monstro. Me escondi no meio das plantas do jardim, enquanto o monstro andava de um lado a outro no meu quintal, ameaçando tudo e todos que eu amava. Acho que minha mente devia estar processando o vírus e lhe conferiu uma forma visível.”

  3. “Todas as noites sonho que estou me isolando numa mansão abandonada, decrépita, com um homem sem rosto, que não conheço. Num primeiro momento eu me divirto explorando a casa, encontrando quartos e corredores secretos. Perto do final do sonho, os móveis começam a se mexer por conta própria, as portas fecham sozinhas e o piano começa a se tocar. Acordo quando estou prestes a sair da casa correndo e simplesmente me arriscar a enfrentar o vírus. Toda noite eu sonho com a mesma casa. Às vezes eu mostro ao homem os cômodos diferentes que encontrei nos sonhos das noites anteriores. Por algum motivo, o homem sem rosto usa apenas uma toalha amarrada na cintura, como se tivesse acabado de sair do chuveiro. Ele nunca está de roupa. É uma saia justa. Ainda bem que não sou a única que anda tenho sonhos bizarros hoje em dia!”

No primeiro sonho, o ambiente do auditório encerra um significado importante, disse Lauri Loewenberg, autora de“Dream on It: Unlock Your Dreams, Change Your Life”. A pessoa que teve o sonho talvez sinta que nossa situação atual lembra mais um espetáculo do que a vida real.

“Como todos nós, a sonhadora talvez anseie para este show terminar logo, para que as cortinas sejam fechadas, assinalando o fim deste pesadelo”, ela disse. “Outra coisa, estava escuro no sonho. Quando um sonho acontece no escuro, frequentemente é porque as emoções do sonhador estão sombrias no momento ou então porque o sonhador está incerto, ‘no escuro’ sobre alguma questão específica em sua vida. Essas duas coisas podem se aplicar aqui.”

Para dar forma ao vírus, o subconsciente da sonhadora usa imagens que sempre assustaram a pessoa, disse Loewenberg. “E a cabeça de coelho talvez seja uma alusão ao fato de este vírus estar se multiplicando rapidamente, como é sabido que ocorre com os coelhos.”

No segundo sonho, o sonhador acertou em cheio em sua interpretação: o vírus assumiu a forma visível de um monstro.

“O monstro – ou o vírus – invadiu a sala da casa do sonhador”, disse Loewenberg. “A sala representa o que fazemos diariamente em nosso cotidiano. O sonhador saiu correndo da sala porque sua rotina cotidiana foi completamente interrompida.”

“A covid nos defronta com muitas incógnitas. Nossos sonhos nos apresentam cenários de sobrevivência, num esforço para conservar a esperança, a estabilidade e o preparo para o que possa estar pela frente.”

- ANJHULA MYA SINGH BAIS, PSICÓLOGA

A casa, no último sonho, é tremendamente significativa. Segundo Loewenberg, a casa nos sonhos – quer seja nossa casa real ou uma casa imaginada – geralmente representa o self, o próprio eu. O tipo de casa e a condição em que ela se encontra nos diz muito sobre o estado de espírito atual do sonhador.

“Uma mansão frequentemente representa uma parte grandiosa do sonhador, uma parte de seu eu do qual ele se orgulha”, ela explica. “Como a mansão está abandonada e a sonhadora está ansioso por explorar os cômodos, isso pode representar uma parte dela mesma que a sonhadora deixou relegada ao esquecimento, mas com que ela quer entrar em contato novamente, agora que tem tempo sobrando, graças à quarentena.”

Apesar das boas intenções da sonhadora, os aspectos difíceis da quarentena provavelmente estão começando a “assombrá-la”, já que a mansão vai ficando tão assustadora que ela tem vontade de fugir.

“Acho que o homem também representa uma parte dela, provavelmente sua energia masculina: a parte dela que é formada pela energia direta, assertiva. Já mulheres desconhecidas, quando aparecem em sonhos, tendem a representar uma energia criativa, emocional, que nutre a pessoa”, explicou Loewenberg. “O homem parecia ter acabado de sair do chuveiro. É o lado ‘sem firulas’ da sonhadora que a está dizendo para se purificar de suas frustrações e negatividade e voltar para aquilo que a estava empolgando originalmente.”

Retorno à infância

“Ando sonhando com a casa onde eu vivia quando era criança, com a idade que meu filho está hoje (9 anos), e com meu pai, que já faleceu. Nos meus sonhos, meu pai e minha mãe estão vivos, saudáveis e fortes, e eu me sinto protegida pela presença deles. Interpreto o fato de meu subconsciente estar voltando àquela época da minha vida como sendo a antítese do medo e da ansiedade que estou sentindo hoje. Minha mãe está com quase 74 anos e vive sozinha no Bronx. Morro de medo de ela ficar doente. Não sou mais a crian ça – hoje eu sou a mãe que precisa dar amor, calma e estabilidade. Acordo me sentindo assustada e ofegante, como se eu tivesse literalmente viajado no tempo e no espaço. Mas apesar dos meus medos, sei que faço parte das pessoas de sorte e me sinto grata por isso.”

Essa sonhadora procura uma solução para o problema de sua ansiedade e a encontra na recordação de ser protegida por seus pais quando era criança, disse Anderson. Ela se reconforta ne recordação de uma época em que sua mãe era saudável, forte e capaz de proteger sua filha. É interessante que ela pensa em seu próprio filho de 9 anos; quando nossos filhos chegam a idades específicas que foram significativas em nossa própria infância, frequentemente sonhamos que estamos com essa idade outra vez.

“Talvez haja alguma coisa na infância dela, aos 9 anos de idade, que a pessoa precise rever”, explicou Anderson. “É útil encarar tudo e todos em um sonho como sendo representativos de algo da própria sonhadora: seus pais ‘vivos, saudáveis, fortes’ no sonho podem representar sua própria atuação forte como mãe, e a criança, no sonho, é uma parte dela própria que precisa de proteção, apesar de que hoje é ela quem é a mãe.”

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost UK e traduzido do inglês.