NOTÍCIAS
27/01/2019 08:22 -02 | Atualizado 27/01/2019 16:36 -02

Sob risco de rompimento de outra barragem, moradores de Brumadinho são acordados com sirenes

População foi orientada a deixar suas casas e se abrigar nos pontos mais altos da cidade.

Washington Alves / Reuters

Por volta das 5h30 da manhã deste domingo (27), moradores de Brumadinho, em Minas Gerais, foram acordados ao som de sirenes e de alertas para evacuação imediata. Cerca de 24 mil pessoas devem deixar suas casas. Os trabalhos de busca por desaparecidos chegaram a ser suspensos, mas foram retomados por volta das 15h.

O movimento de retirada se dá menos de 48 horas após o rompimento de uma barragem de rejeitos da Vale, que já deixou 37 mortos. Ainda há cerca de 250 desaparecidos em meio ao mar de lama que soterrou casas e arrastou carros e árvores.

O alerta deste domingo foi feito após a constatação de que há risco de rompimento de uma outra barragem.

A população foi orientada a deixar suas casas e se abrigar no pontos mais altos da cidade. “Atenção, evacuação geral da área. Procurem o local mais alto da cidade. Evacuação de emergência”, diz um homem em um alto-falante, como mostrado no vídeo abaixo.

A barragem que está em risco agora é a de número 6 do complexo de Brumadinho, segundo uma nota da Vale. Essa barragem é um depósito de água com capacidade de 1 milhão de metros cúbicos - e não de rejeitos de minério de ferro, como a primeira. 

No entanto, a empresa diz ter detectado “aumento dos níveis de água nos instrumentos que monitoram a barragem 6”. Apesar de não conter rejeitos, o rompimento de mais essa barragem tornaria o cenário ainda mais catastrófico. No sábado, a Vale já tinha começado a fazer um bombeamento da água desse reservatório.

“As autoridades foram avisadas e, como medida preventiva, a comunidade da região está sendo deslocada para os pontos de encontro determinados previamente pelo Plano de Emergência. A Vale continuará monitorando a situação, juntamente com a Defesa Civil”, disse a empresa, em comunicado. 

Segundo o jornal O Globo, um engenheiro da mineradora disse, na manhã deste domingo, que a instabilidade da barragem aumentou, aumentando o grau de risco para 2 numa escala de 3. 

O risco de rompimento de uma outra barragem deve interromper temporariamente também os trabalhos de buscas por desaparecidos.