LGBT
21/06/2019 12:47 -03 | Atualizado 21/06/2019 17:22 -03

Semáforos de pedestres na Paulista terão bonecos de casais homoafetivos

Mudanças serão feitas especialmente para o próximo domingo (23) em homenagem à Parada do Orgulho LGBT de São Paulo.

Divulgação/Prefeitura de São Paulo
Semáforos já podem ser vistos na Avenida Paulista nesta sexta-feira (21).

Em homenagem à 23ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, que acontece no próximo domingo (23), as sinalizações para pedestres na Avenida Paulista ― onde acontece o evento anualmente ― ao invés dos bonecos de um transeunte parado ou caminhando, casais homoafetivos serão colocados nas imagens.

A iniciativa é da Prefeitura de São Paulo e da Secretaria de Mobilidade e Transportes, por meio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), responsável pela confecção e instalação dos pictogramas. 

A Prefeitura informa que em seis intersecções será possível encontrar a sinalização estilizada: Avenida Paulista com Rua Augusta, Joaquim Eugênio de Lima, Peixoto Gomide, Brigadeiro Luís Antônio, Campinas e Pamplona.

Devido ao evento, a região da Avenida Paulista será interditada em ambos os sentidos das 10h às 18h. Porém, ruas próximas como Brig. Luís Antônio, Teixeira da Silva e Carlos Sampaio e Maria Figueiredo permanecerão liberadas.

A expectativa da Parada LGBT em 2019

Divulgação/APOGLBT
Parada LGBT levou cerca de 3 milhões de pessoas para a Avenida Paulista em 2018.

Neste ano, a expectativa é que mais de 3 milhões de pessoas compareçam à Parada, que será especialmente simbólica por ser a primeira no governo de Jair Bolsonaro

Na última semana, Bolsonaro criticou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em equiparar a LGBTfobia ao crime de racismo. Segundo ele, a decisão pode dificultar que pessoas LGBT consigam empregos - na sua interpretação, um patrão poderia ficar receoso de ser acusado falsamente de LGBTfobia se o futuro funcionário for demitido um dia.  

A Prefeitura de São Paulo, neste ano, investiu cerca de R$ 1,8 milhão em ações de apoio à Parada. De acordo com o prefeito, o efetivo de segurança será o mesmo do ano passado: 60 viaturas e 300 homens da GCM, além de 80 bombeiros civis, 540 seguranças privados e parceria com a Polícia Militar. 

“Embora não seja um evento da Prefeitura, a parada é um evento da cidade de São Paulo. A cidade se orgulha da sua Parada e a prefeitura colabora no que for possível”, disse o prefeito, ao lembrar que o evento gera renda e emprego na cidade e que, ano passado, rendeu R$ 288 milhões à cidade. 

A Parada contará com 19 trios elétricos ― um a mais que em 2018 ― e com atrações como a ex-Spice Girl Mel C, Iza, Luisa Sonza, Gloria Groove, Aretuza Love, Lexa, Mc Pocahontas, entre outros. Neste ano, empresas como Burger King, Avon e Uber patrocinam o evento.

Também no HuffPost Brasil:
Galeria de Fotos 10 momentos históricos da luta LGBT Veja Fotos