NOTÍCIAS
05/02/2020 16:56 -03 | Atualizado 05/02/2020 17:00 -03

Frota expõe supostas fotos íntimas e comentários misóginos de indicado para Secom

Deputado, que é ex-aliado de Bolsonaro, questionou indicação de Luiz Galeazzo - fiel defensor do presidente nas redes sociais - para cuidar das mídias digitais do Planalto.

Reprodução

A Secretaria de Comunicação (Secom) do governo Bolsonaro se viu envolvida em mais uma polêmica nesta quarta-feira (5). O deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) retuitou supostas fotos íntimas do publicitário Luiz Galeazzo, indicado para assumir a parte digital da comunicação do Planalto, questionando o “conservadorismo” de Bolsonaro.

O nome de Galeazzo, fiel defensor do presidente nas redes sociais e influente na base bolsonarista, ainda não saiu no Diário Oficial, mas, segundo o HuffPost confirmou, ele foi indicado para a vaga de diretor do Departamento de Conteúdo e Gestão de Canais Digitais da Secom. A informação foi primeiro divulgada pelo site da revista Época.

Nas imagens retuitadas por Frota, Galeazzo estaria com duas mulheres na cama. 

“Vejam o conservadorismo do Bolsonaro. Esse é o Luiz Galeazzo que será o novo secretário de mídias Digitais da Secom. Convidado para trabalhar no Governo”, escreveu Frota, que já foi aliado de Bolsonaro. “Outro hipócrita”, completou, marcando o perfil da Secom e de Bolsonaro no Twitter, além de jornalistas e da Igreja Universal.

Aparentemente, o próprio Galeazzo tinha publicado as fotos em 2018, já que Frota compartilhou reproduções de comentários do publicitário no Twitter sobre as fotos. 

A conta de Galeazzo, a @oiluiz, que tinha mais de 16,6 mil seguidores, estava suspensa na tarde desta quarta (5).

Reprodução/ Twitter

Frota também criticou a indicação do publicitário, que é próximo ao assessor especial da Presidência para Assuntos Internacionais, Filipe Martins, e ao deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), no plenário da Câmara.

O ex-aliado de Bolsonaro leu, no púlpito, postagens de conteúdo ofensivo e misógino de Galeazzo.

“Esse é o nível do novo contratado do Fábio [Wajngarten] da Secom. (...) Agora vai colocar um sujeito desse para cuidar das redes sociais”, disse o deputado tucano. 

Procurada pelo HuffPost, a Secom disse que não comentará o caso.

A divulgação das mensagens de Galeazzo se dá num momento em que Wajngarten, chefe da Secom, enfrenta um escândalo relacionado a contratos da secretaria. 

Na última terça (4), a Polícia Federal atendeu o pedido do Ministério Público Federal em Brasília e vai investigar o chefe da Secom por suspeita de práticas de corrupção passiva, peculato (desvio de recursos públicos) e advocacia administrativa (patrocinar interesses privados na administração pública, valendo-se da condição de servidor).

O pedido do MP veio após uma série de reportagens da Folha de S. Paulo mostrar que a FW Comunicação, da qual Wajngarten é sócio majoritário, tem contratos com ao menos cinco empresas que recebem do governo, entre elas, a Band e a Record, cujas participações na verba publicitária da Secom vêm crescendo, segundo o jornal. 

Nesta quarta (5), Bolsonaro disse, ao deixar o Palácio da Alvorada, que Wajngarten está “mais firme do que nunca” no cargo.