ENTRETENIMENTO
15/04/2019 21:13 -03

Murilo Benício vive prefeito machista em minissérie da Globo: 'É estranho ouvir as coisas que ele fala'

Em entrevista ao HuffPost, ator de "Se Eu Fechar os Olhos Agora" falou sobre personagem dos anos 60 que encontra ecos no presente.

Estevam Avellar/ Rede Globo
Murilo Benício contracena com a esposa Débora Falabella na nova minissérie da Globo.

Murilo Benício é umas das estrelas do elenco de Se Eu Fechar os Olhos Agora, nova minissérie da Globo que estreia na noite desta segunda-feira (15). Ele interpreta Adriano, um rigoroso pai de família e prefeito da pacata São Miguel.

“Adriano é um cara muito inteligente, articulado, mas que dentro de casa é frio”, conta o ator em entrevista ao HuffPost Brasil. “Ele não consegue lidar com o carinho das filhas, tem ali um machismo muito exacerbado”, completa.

A produção é ambientada nos anos 60, mas encontra ecos no presente. O personagem de Benício é nascido em uma família de políticos, tem total domínio sobre São Miguel e faz de tudo para se manter no poder.

″É muito atual essa situação de poder e política, com pessoas que regem uma cidadezinha de acordo com seus interesses”, reflete o ator.

Adriano tem também um casamento de aparências com Isabel, vivida por Débora Falabella – esposa de Benício na vida real. O personagem tem duas filhas, Cecília (Marcela Fetter) e Vera Lúcia (Jullia Svacinna).

Em um discurso público, logo no primeiro episódio, Adriano se gaba das jovens, chamando-as de “belas, recatadas e do lar”, referência explícita do roteirista Ricardo Linhares ao título da matéria da revista Veja que, em 2016, apresentava assim Marcela Temer, mulher do então vice-presidente Michel Temer.

“Eu achava estranho dizer aquilo, mas não me restou nenhuma alternativa a não ser dizer aquilo de verdade”, admite Benício.

Para além das aparências, o prefeito de São Miguel esconde segredos obscuros diretamente relacionados ao assassinato de Anita (Thainá Duarte), feminicídio descoberto por 2 adolescentes e que dá início ao thriller de suspense.

“A série tem essa coisa do quebra-cabeça. Em cada episódio você descobre uma coisa nova. Você não sabe para onde estão indo essas pistas e é sempre surpreendente”, explica o ator sobre a produção dirigida por Carlos Manga Jr.

“Você vai descobrindo aos poucos a intimidade de cada pessoa que se envolve com a história [do assassinato]. Você percebe que tudo de certa forma é uma teia, todos os personagens estão ligados ao acontecimento”, completa Benício.

A forma como a narrativa é desenvolvida foi o que mais marcou Benício nesse trabalho, sua primeira série com linguagem de suspense. “É impactante quando há o movimento da inocência descobrindo o cruel”, afirma.

Assista à entrevista em vídeo na íntegra no player abaixo: