NOTÍCIAS
29/01/2020 18:41 -03 | Atualizado 29/01/2020 18:58 -03

Regina Duarte aceita 'casamento' com Bolsonaro e diz 'sim' à Secretaria de Cultura

"Sim. Só que agora vão correr os proclamas [trâmites] antes do casamento", afirmou a atriz ao deixar o Planalto.

Adriano Machado / Reuters
Atriz se reuniu com o presidente na tarde desta quarta para dar a resposta positiva ao convite. 

“Sim. Só que agora vão correr os proclamas [trâmites] antes do casamento”, afirmou Regina Duarte ao deixar o Palácio do Planalto no início da noite desta quarta-feira (29). Foi assim que a atriz anunciou que aceitou o convite do presidente Jair Bolsonaro para comandar a Secretaria de Cultura após a conturbada saída do dramaturgo Roberto Alvim. Ainda não há previsão de quando ocorrerá a cerimônia de posse. 

O convite foi feito no dia 17 de janeiro, mesmo dia da demissão de Alvim. Ele caiu após divulgar um vídeo em que repete parte do discurso de Joseph Goebbels, ministro da Propaganda da Alemanha nazista.

A resposta positiva a Bolsonaro ocorreu em uma reunião da qual também participou o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. Regina também foi apresentada pessoalmente aos ministros Paulo Guedes (Economia) e Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública), que tiveram agenda mais cedo com o mandatário.

Entre os dias 22 e 23 de janeiro, antes de Bolsonaro embarcar para a Índia, Regina já havia estado em Brasília para conhecer a Secretaria e conversar com ministros e o próprio presidente.

Em uma das reuniões, ela convidou Janicia Silva, conhecida como reverenda Jane, para o cargo de secretária adjunta da pasta. Jane é pastora evangélica e, até então, atuava como secretária da Diversidade Cultural. Nas redes sociais, ficou conhecida pelo apoio ao presidente Jair Bolsonaro e ao ex-secretário Roberto Alvim.

A atriz já havia sido chamada anteriormente para o posto, e na ocasião do novo convite, afirmou surpresa, também por estar “digerindo todas as coisas que causaram o afastamento dele [Alvim]”.

Veterana nos palcos e na TV, disse que não se sente preparada para assumir essa posição em um País “imenso e continental”. Porém, Bolsonaro teria dito a ela: “Então se prepare porque eu quero você”.

A agora futura secretária da Cultura é conhecida por seu posicionamento político contra a esquerda desde as eleições de 2002, quando disse em um vídeo de campanha ter “medo” de uma eventual vitória de Lula (PT).