Comida

Pratos veganos podem ter mais sal do que hambúrguer do McDonald's, aponta estudo britânico

"É importante saber que um rótulo ‘vegano’ não qualifica automaticamente um produto como saudável."

Muitas pessoas optam por uma dieta vegana em busca de mais saúde. Porém, nem todos alimentos livres de ingredientes de origem animal são saudáveis. Um estudo feito pela ONG britânica Action on Salt indicou que muitos produtos à base de plantas podem conter muito mais sal do que hambúrguer de fast-food.

Atualmente, a OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda que o consumo de sal diário não ultrapasse 5 gramas, o que seria mais ou menos uma colher de chá rasa.

Porém, uma recente pesquisa da ONG sobre alimentos à base de plantas vendidos em supermercados, restaurantes e cafeterias no Reino Unido apontou que a quantidade de sal nestes pratos pode chegar a quase o dobro desta recomendação diária de sal.

O estudo mediu a quantidade de sal em mais de 290 produtos veganos em 45 estabelecimentos no Reino Unido, incluindo redes de supermercados, restaurantes veganos e redes de fast-food.

De acordo com a pesquisa, cerca de 45% destas refeições continham mais sal do que metade da recomendação de consumo de sal de um dia inteiro, enquanto alguns ultrapassavam a cota diária.

Apenas uma pizza vegana média da rede Papa John, por exemplo, tinha quase 10 gramas de sal ― mesma quantidade que há em sete hambúrgueres do McDonald’s. Já um único hambúrguer vegano da rede Slug & Lettuce continha 7,6 gramas de sal.

“Se estas redes de restaurantes dispusessem de cores para as informações nutricionais de seus menus como fazem as embalagens de alimentos industrializados em supermercados, quatro entre cinco produtos à base de plantas teriam tarja vermelha, o que indica que eles têm alta quantidade de sal”, informou a pesquisa.

Outro fato que chamou atenção da organização é que refeições similares de restaurantes concorrentes continham até 7 vezes menos sal.

O yakissoba com curry da rede Wasabi, por exemplo, continha 10,3 gramas de sal por porção, enquanto a Lentilha Masala da rede Leon tinha 2,2 gramas de sal. “[Isso] claramente demonstra que estas refeições podem facilmente ser reformuladas com bem menos sal”, acrescentou a ONG.

Além do sal, estes pratos apresentaram alta quantidade de gordura saturada. Mais da metade de todas as refeições pesquisadas tinham mais de 6g de gordura saturada por porção.

“Esta pesquisa destaca que alguns restaurantes estão produzindo pratos não saudáveis, escondidos pela ‘áurea de saudabilidade’ que o termo ‘vegan’ traz”, afirmou Sonia Pombo, da Action on Salt. “Seguir uma dieta baseada em vegetais pode ser benéfico por várias razões, mas se você quer comer menos carne em busca de saúde, é importante saber que um rótulo ‘vegano’ não qualifica automaticamente um produto como saudável.”

“É importante saber que um rótulo ‘vegano’ não qualifica automaticamente um produto como saudável.”

Já o professor de Medicina Cardiovascular da Queen Mary University of London e um dos conselheiros da Action on Salt, Graham McGregor, afirmou que é “chocante” como o setor ignora a ação voluntária de reduzir as quantidades de sal em refeições, sejam congeladas ou servidas em restaurantes, e observa que isso pode acarretar em problemas de saúde.

“O sal é a principal causa de pressão alta, que por sua vez aumenta o risco de derrames e doenças cardíacas. De acordo com o Departamento de Saúde e Assistência Social do Reino Unido, se toda a população britânica reduzisse 1 grama de sal por dia, seriam salvas mais de 4 mil mortes prematuras por ano. Diante disso, é imoral que qualquer empresa de alimentos não faça sua parte.”

No Brasil, ainda não há estudos que compararam a quantidade de sal em produtos veganos e em produtos de origem animal. Contudo, o tema vem sendo debatido desde que foram lançados os chamados “hambúrgueres plant-based” que têm sabor, textura e cheiro de carne “de verdade”.

Apesar de muitas marcas alegarem que o hambúrguer é mais saudável do que o de carne animal, estes produtos possuem grandes quantidades de sal e devem ser consumidos com moderação.