COMPORTAMENTO
02/04/2019 16:55 -03

Rafael Ilha, Casagrande e Fábio Assunção: Dependência química não é motivo de riso

Foto com os 3 é um manifesto pelo respeito àqueles que sofrem com a doença.

Reprodução/Instagram
O ex-Polegar Rafael Ilha tira foto com o ex-jogador de futebol Casagrande e o ator Fábio Assunção.

Em tempos de comentários que evidenciam falta de empatia nas redes sociais, a foto publicada por Rafael Ilha nesta segunda-feira (1) em sua conta no Instagram, em que aparece ao lado de Walter Casagrande e Fábio Assunção, é mais um passo para compreensão por parte da opinião pública de que o problema da dependência química é grave e não poupa ninguém.

“Somos dependentes químicos sim, e qual é a graça?” questiona o ex-Polegar. “Você tira sarro ou acha graça de uma pessoa com câncer, aids, leucemia ou alguma doença grave e degenerativa? Com certeza não. Então Pare Com Isso  e se CONSCIENTIZE que a dependência química MATA”, completou.

A postagem recebeu diversas mensagens de apoio, mas ainda rendeu muitas provocações e críticas também. Principalmente por conta da comparação da dependência química com outras doenças.

Desde 2004 a Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica a dependência química como um transtorno psiquiátrico, sendo considerada uma doença crônica que pode ser tratada e controlada simultaneamente como doença e como problema social.

O ator Fábio Assunção, por sua vez, teve uma acolhida melhor do público  quando surpreendeu a todos em janeiro deste ano ao não boicotar uma música, do grupo baiano La Fúria que levava seu nome. A canção, claro, fazia troça da condição de dependência química do ator.

Ao invés de tentar censurar a música, que despontava como um dos hits do Carnaval de 2019 na época, Assunção entrou em um acordo com a banda e seus compositores para reverter todo o lucro da canção para instituições que cuidam de pessoas que sofrem com a mesma doença dele.

A forma franca e positiva de como ele lidou com a situação fez os integrantes da La Fúria e o compositor do hit postarem vídeos agradecendo ao ator. E o público acabou seguindo a iniciativa, apoiando Assunção.

Já o ex-jogador de futebol Walter Casagrande, que revelou em seu livro Casagrande e seus Demônios (publicado em 2013) seu problema com drogas, abriu seu coração para um público bem maior logo depois da final da Copa do Mundo da Rússia, no ano passado.

Esta foi a Copa mais importante da minha vida, tive uma proposta que era chegar pela primeira vez em uma Copa do Mundo sóbrio, permanecer sóbrio e voltar para casa sóbrio. Então, eu estou muito feliz”, disse às lágrimas o hoje comentarista esportivo ao lado de seus colegas de transmissão.

Seu desabafo sincero foi seguido também por uma onda de apoio nas redes sociais.

“Dependência química é uma doença, então respeite. Loucura é você achar isso engraçado”, conclui Ilha em seu post.